Calvície masculina

Calvície masculina: entenda se você pode ficar careca

A calvície masculina é bem comum nos homens. Hoje muitos deles aceitam suas “carequices” raspando a cabeça e assumindo definitivamente a falta de cabelos.

Porém, quando os cabelos começam a cair, muitos passam por momentos de não aceitação. Sobre esse assunto, sempre surgem inúmeras dúvidas, então seja se você tem predisposição para ficar calvo.

Quando alguém sabe se ficará calvo?

A alopecia androgenética pode ser verificada pela predisposição familiar (seu pai e seu avô), e esta patologia se inicia logo após a puberdade, quando deveriam ser iniciados os tratamento.

Como perceber que a calvície está chegando?

A tendência à calvície pode ser observada primeiramente pela espessura dos fios.

Se os fios da frente da cabeça estiverem mais finos e os cabelos mais oleosos, é sinal de que o cabelo está começando a morrer e que a calvície está chegando.

É nesse momento que se deve iniciar o tratamento.

Mas afinal, por que os fios caem?

Todo o processo é provocado por uma combinação de fatores genéticos e hormonais e está diretamente relacionado com a testosterona, um hormônio sexual masculino.

Como as mulheres também produzem pequenas quantidades dessa substância, a calvície não é uma exclusividade masculina, e elas também estão sujeitas a desenvolver a calvície feminina. Porém as estimativas são de 5% de mulheres para 95% de homens.

Como a calvície androgenética ocorre?

Um folículo piloso saudável pode ter até quatro fios de cabelo. Mas, quando este folículo é estimulado pela testosterona, inicia-se a calvície, e este mesmo folículo começa a apresentar um menor número de fios e muito mais finos.

Com a tendência genética, o hormônio masculino presente no folículo sofre a ação de uma enzima, a 5-alfa-redutase, e é transformado em DHT (dihidrotestosterona).

Esse hormônio (DHT) desencadeia a morte das células que produzem os fios. Daí os folículos se fecham e diminuem a produção de fios progressivamente.

Observe que a alopecia androgenética acomete a parte superior da cabeça. Isso ocorre porque os fios que se localizam nas laterais e atrás da cabeça não produzem a tal enzima.

Mito da calvície!

A relação entre a queda dos fios e a ação da testosterona deu origem à ideia de que os carecas deviam, então, produzir maiores quantidades de hormônio masculino. Portanto, seriam mais viris do que os cabeludos.

Porém, teoricamente todos os homens, sejam eles calvos ou não, produzem a mesma quantidade desse hormônio e, além disso, não é o nível de testosterona que provoca a calvície.

Ademais, a presença de uma grande quantidade de DHT circulando pelo organismo também não significa obrigatoriamente que um indivíduo se tornará calvo. É necessário que esse excesso de receptores esteja presente no couro cabeludo.

Sendo assim, até que o contrário seja comprovado cientificamente, essa história de que os carecas são mais “machões” do que os cabeludos não passa de mito.

Prevenção da calvície

Embora a calvície sofra influência genética e se inicie logo após a puberdade, vale a pena mudar os hábitos diários em relação aos produtos usados nos cabelos.

A linha Terapia Capilar da Extratos da Terra traz nutrientes e oligoelementos que contribuem no controle da oleosidade e da queda, e melhoram a autoestima do homem.

Ah, uma boa notícia é que todos os produtos usados nos cabelos podem ser estendidos para a barba também.

Conheça e teste os benefícios dos produtos desenvolvido pela Extratos da Terra em nosso site, extratosdaterra.com.br ou em um de nossos distribuidores.

Experimente!

Elizete Garcia
Coordenadora técnica da Extratos da Terra

2 comentários em “Calvície masculina: entenda se você pode ficar careca”

    1. Olá Marcia,
      A calvície vem incomodando muito os homens e mulheres mesmo. Está muito associado ao estresse, variações hormonais e também ao fator genético. É muito importante começar a tratar logo no inicio, assim consegue-se um controle maior da queda dos cabelos.

      Abraços de todos da Extratos da Terra para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.