Arquivo da categoria: Conteúdo

Rejuvenescimento íntimo: quais técnicas e produtos podem ser usados

Primeiramente, o rejuvenescimento íntimo tem ganhado o interesse de muitas mulheres, que procuram o tratamento para que possam se sentir melhor consigo mesmas ou para diminuir os efeitos da pós-menopausa nessa região. Anteriormente, falamos das alterações que acontecem na pele na menopausa e como diminuir esses efeitos no post “Pele na menopausa”.

Mas, afinal, o que é rejuvenescimento íntimo?

São diversas opções de tratamentos realizados por profissionais habilitados ou especializados na região íntima feminina. Ou seja, entende-se por região íntima as áreas como axilas, virilha, pregas do pescoço e parte interna da coxa. 

Existem tratamentos estéticos e outros que visam a melhora da saúde da mulher, a fim de diminuir as alterações provocadas pelo envelhecimento e que causam desconfortos. Há opções de tratamentos não invasivos bem como possibilidades cirúrgicas. 

regioes intimas

Neste artigo, vamos abordar o tratamento não invasivo com a finalidade de melhora estética. O resultado é a melhora da autoestima e do bem-estar da mulher com o seu corpo. 

Em primeiro lugar, os principais benefícios do rejuvenescimento íntimos são:

  • Diminuição da flacidez e aumento da firmeza
  • Clareamento da pele 
  • Aumento do volume perdido com a idade ou diminuição da gordura localizada na região íntima
  • Melhora da autoestima e da autoconfiança 

Quando fazer esses tratamentos ?

Não existe uma idade preestabelecida para fazer o rejuvenescimento íntimo.

menopausa

Porém,  a procura por esse procedimento é mais comum em mulheres com idade entre 50 e 60 anos, época em que começam a sentir os efeitos da menopausa, pois já sofrem queda hormonal.

Com a idade, ocorre absorção da gordura dos grandes lábios, o que torna a pele flácida e com rugas. Isso faz parte do processo natural do corpo da mulher. Por outro lado, essas alterações podem deixar a mulher desconfortável e menos confiante, levando a procura por tratamentos para reverter esses sinais do envelhecimento íntimo. 

Além dos efeitos da idade, a flacidez nos grandes lábios também pode ser causada por outros fatores como:

  • Fatores genéticos
  • Sedentarismo e falta de estímulo muscular no local
  • Múltiplos partos ou partos normais
  • Pós-cirurgia bariátrica, que diminui a gordura localizada e deixa a pele mais frouxa

Outro procedimento muito procurado é o clareamento da região íntima feminina. Nesse caso, o escurecimento da região não está ligado à idade, mas sim a outros fatores que levam mulheres jovens a procurar por esses tratamentos, como, por exemplo: 

  • Atrito de movimento
  • Irritação da região (ex.: roupas apertadas)
  • Ardor e assadura causada pelo atrito 
  • Queratina e melanina, que são estimuladas para proteção do local que sofre atrito

Em seguida, vamos abordar mais detalhadamente estes dois tipos de tratamento íntimo: rejuvenescimento não invasivo e clareamento. 

1 – Preenchimento e rejuvenescimento íntimo sem cirurgias

Como mencionado, com a idade ocorre uma diminuição das células de gordura na região íntima, principalmente nos grandes e pequenos lábios. Essa alteração é decorrente da diminuição dos hormônios e da redistribuição de gordura que acontece naturalmente no corpo. 

Para resolver esse problema sem apelar para cirurgias, existem no mercado algumas opções que visam restabelecer o volume e o aumento da firmeza da pele nessa região. 

Em primeiro lugar, para dar volume é necessário o uso de dermocosméticos que façam o preenchimento lipídico (que estimulem um novo armazenamento de gordura no local). Por outro lado, o preenchimento hídrico também é importante, pois hidrata a pele, deixando-a mais resistente e volumosa. 

Além dos dermocosméticos, procedimentos como microagulhamento, laser e radiofrequência são opções para o tratamento dessa região com a finalidade de preenchimento e aumento da firmeza. 

Em contrapartida, mulheres mais jovens sentem-se desconfortáveis pelo aumento excessivo do volume presente na região pubiana. Nesse caso, elas podem optar por tratamentos redutores com dermocosméticos lipolíticos e procedimentos como o ultrassom e o microagulhamento. 

2 – Clareamento de regiões íntimas

As regiões que se localizam na parte interna dos membros, como axilas, virilha e região perianal, podem sofrer com a hiperpigmentação. Normalmente, isso acontece por conta do atrito da pele nessas regiões, causado por fatores como:

  • Aumento de peso
  • Uso de roupas apertadas
  • Uso de desodorantes com álcool ou produtos cosméticos que não preservam a microbiota e a proteção da pele.

O fototipo de pele também influencia. Peles mais escuras tendem a apresentar hiperpigmentação, já que a produção de melanina é mais intensa do que em peles mais claras. 

Antes de se começar qualquer tratamento clareador, é necessário uma boa avaliação das causas que estão levando ao aparecimento de manchas nesses locais para que se possa montar o tratamento ideal.

Por exemplo, se a mancha na virilha é decorrente do atrito da pele, não adianta apenas tratar com produtos que diminuam a produção de melanina. Esse tipo de tratamento resolve o problema no curto prazo, mas a mancha vai voltar porque a causa não foi resolvida. Nesse caso, é necessário associar os produtos clareadores com outros que aumentem a hidratação, além de substituir roupas apertadas por outras que não causem atrito direto com a pele.

Outro fator importante é não utilizar produtos muito agressivos como peelings descamativos na região. Normalmente são regiões mais quentes do corpo, e o uso de produtos que retiram a proteção natural da pele vai estimular o sistema de defesa e acionar a produção de mais melanina, o que faz com que a mancha volte a aparecer. Por isso, procure sempre tratamentos que preservem a proteção natural, que inibam a produção de melanina e que aumentem a hidratação. 

Além dos cosméticos, o tratamento pode ser associado a procedimentos como microagulhamento e laser específicos para clarear a pele. 

Última dica
profissional de estetica

Para finalizar, um fator muito importante em qualquer um desses tratamentos é procurar um profissional qualificado e especializado para fazer esses procedimentos. Isso porque a região íntima é delicada e a fisiologia do local deve ser respeitada. 

Importância da Hidratação na Estética

A hidratação na estética é fundamental para que se possa conseguir bons resultados em qualquer tratamento. Por isso, é muito importante os profissionais da estética estarem atentos ao nível de hidratação cutânea de seus clientes. 

Independentemente do tipo de tratamento, uma pele hidratada é mais flexível, tem mais viço e vai conseguir reagir melhor ao tratamento que será feito, seja com terapias manuais, eletroterapia ou microagulhamento.

Veja algumas razões pelas quais a hidratação na estética é importante:

Limpeza de pele e extração

A hidratação deixa a pele mais emoliente e flexível, facilitando a extração, e diminui a dor do paciente. 

Controle da acne e oleosidade

A hidratação é fundamental nesse procedimento, pois se tem mais equilíbrio hidrolipídico e a barreira de proteção fica mais ativa. Dessa forma, consegue-se controlar melhor a produção de sebo. 

Tratamentos clareadores

Quando a pele está hidratada, a barreira de proteção fica íntegra. Dessa forma, menos agressão chega à pele, prevenindo a piora das manchas. Isso porque a produção de melanina está intimamente ligada a mecanismos de proteção da pele. Quando esses mecanismos são acionados, uma mensagem é enviada ao melanócito para aumentar a produção de melanina, o que pode piorar as manchas já existentes

Uso de eletroterapia

eletroterapia

A hidratação mantém os níveis de água na pele equilibrados.

Os hidratantes biológicos em especial contribuem para o aumento da água na derme e epiderme, e criam um meio onde se tem muitos íons que favorecem a passagem da corrente elétrica. Dessa forma, melhora a resposta dos tratamentos que fazem uso da eletroterapia. 

Tratamentos anti-idade

Conforme envelhecemos, vamos produzindo cada vez menos componentes lipídicos e hídricos, que mantêm a saúde e a barreira de proteção da pele íntegra. Dessa forma, mais água é evaporada para o meio externo, ocorrendo o que chamamos de perda de água transepidermal e o ressecamento da pele.

Além disso, menos ácido hialurônico é produzido na derme com a idade, e essa molécula é um dos componentes mais importantes para manter a pele renovada, hidratada e preenchida. 

Microagulhamento

O microagulhamento estimula a produção de colágeno e elastina, porém, se o tecido não está hidratado, as fibras produzidas serão com qualidade inferior, prejudicando assim o resultado final do tratamento. 

Agora que você já sabe qual a importância da hidratação na estética, vamos entender quais são os mecanismos que promovem a hidratação cutânea?

Mecanismos de hidratação da pele

A pele se divide em duas grandes camadas, a epiderme e a derme. Falamos sobre a estrutura da pele e suas funções no outro post, você pode conferir aqui

Mas o importante é entender como acontece a hidratação da pele. Primeiramente, a água e os nutrientes chegam na derme através dos vasos sanguíneos. 

Depois, a água e os nutrientes são transferidos para a epiderme através da derme papilar e dos canais de aquaporina, que distribuem a água de forma uniforme por todas as camadas da epiderme. 

Já nas camadas mais superficiais da epiderme acontece a produção de componentes graxos e ceramidas que formam a barreira impermeável da pele. Essa barreira tem a importante função de manter o equilíbrio hidrolipídico e, consequentemente, a hidratação cutânea. Ela forma um filme impermeável que age de duas maneiras:

  • Na parte interna, impede a perda de água transepidermal
  • Na parte externa, evita que agentes do meio externo entrem na pele. 
Mecanismo de hidratação da pele
Mecanismo de hidratação da pele

Na derme, também acontece a produção de ácido hialurônico pelos fibroblastos. Essa molécula possui grande afinidade com a água e é capaz de armazená-la e posteriormente hidratar as células. Na imagem abaixo, você consegue ver também as outras funções do ácido hialurônico na pele. 

ácido hialurônico na pele
Ação do ácido hialurônico na pele

Outra forma de hidratar a pele é fazendo uso de produtos tópicos. Nesse sentido, existem diferentes tipos de hidratantes com mecanismos de ação distintos. Para entender como promover a hidratação na estética de forma eficiente é importante entender o que eles fazem. Por isso, vamos mostrar abaixo os diferentes tipos de hidratantes usados na cosmetologia. 

Mecanismos da hidratação na estética 

Podemos dividir os hidratantes usados em produtos tópicos em 4 grupos principais, e cada um deles possui um mecanismo de ação diferente:

1 – Emolientes 

São substâncias que mantêm a suavidade e a maciez da pele, exercendo um efeito protetor contra o ressecamento e a irritação ao formar uma barreira que inibe a perda excessiva de água de dentro para fora. Ou seja, impedem que a água armazenada dentro da pele seja perdida na camada mais externa. 

Além disso, alguns emolientes biomiméticos ao estrato córneo, isto é, que imitam os componentes presentes na pele, como triglicerídeos, ácidos graxos e fosfolipídeos, interagem com essa camada superficial. Como resultado, eles se unem e fixam-se na pele, garantindo a reposição da barreira cutânea. 

Nesse caso, os emolientes biomiméticos têm os seus efeitos hidratantes mantidos por períodos prolongados, uma vez que agora fazem parte da pele e não são retirados durante o banho, como acontece com os emolientes que ficam na superfície da pele. 

2 – Umectantes

Conferem hidratação por meio da adsorção da água do interior da pele ou do ambiente externo para a superfície. É como se as moléculas desses ingredientes fossem ímãs, atraindo moléculas de água e formando um reservatório hídrico da pele. 

Porém, o seu uso prolongado pode causar desidratação, uma vez que as moléculas de água que estão nas camadas um pouco mais profundas são constantemente atraídas para a superfície da pele. 

Além disso, não apresentam eficácia significativa em ambientes muito secos e em peles já desidratadas, pois não há água disponível para ser atraída para a camada superficial. 

3 – Oclusivos

Os agentes puramente oclusivos formam um filme na superfície cutânea, evitando a perda de água do interior da pele para o ambiente. Um exemplo de agente oclusivo é o óleo mineral.

Apesar de eficazes, esses agentes oclusivos atuam temporariamente (enquanto estão na superfície da pele) e conferem sensoriais pesados e até prover uma falsa hidratação, porque na verdade não repõem a hidratação natural da pele, só impedem a perda de água para o meio externo. 

Esses componentes também podem promover a oclusão dos óstios da pele e estimular o desenvolvimento de comedões. 

4 – Biológicos

São substâncias que atuam estimulando a produção de hidratantes pela própria pele, o que também é conhecido como uma hidratação ativa. Esses componentes estimulam a produção de lipídios e de proteínas presentes nas células da pele, além dos fatores de hidratação natural (NMFs), aquaporinas e ácido hialurônico. Esses hidratantes têm efeito prolongado, pois a hidratação natural da pele é reconstruída. 

Portanto, a melhor forma de se obter uma hidratação eficiente da pele é associar os hidratantes biológicos, que estimulam os processos naturais da pele, conseguindo uma hidratação prolongada, com os hidratantes de ação imediata, como no caso dos emolientes, umectantes ou agentes oclusivos.

Se você gostou do conteúdo, recomende a seus colegas! Eles provavelmente irão gostar também! 

Entendendo a gordura localizada

A gordura localizada é o resultado do acúmulo de energia que não foi gasta pelo corpo e que é armazenada em forma de gordura em algumas regiões.

Em primeiro lugar, essa energia vem da ingestão de alimentos como carboidratos, proteínas e gorduras consumidas em uma quantidade maior do que as necessidades do corpo. Em consequência, o organismo entende que precisa guardar uma reserva para quando, por algum motivo, você deixar de se alimentar. Esse processo é um instinto natural de sobrevivência.

Por isso, constantemente o excesso de energia se transforma em células de gordura, que ficam armazenadas no tecido adiposo. O acúmulo dessa gordura em determinados locais dá origem à gordura localizada, que acaba incomodando e afetando a autoestima. 

Imagem representativa da gordura localizada
Onde os pontos da imagem representam:
1- O tecido adiposo
2 – A célula de gordura (adipócito)

Por outro lado, alguns fatores externos também favorecem a formação da gordura localizada, tais como:

  • Má postura, que deforma o contorno corporal
  • Excesso de peso devido ao alto consumo de calorias
  • Falta de exercícios físicos, que faz com que as calorias em excesso não sejam gastas. 

Por que a gordura localizada se acumula em regiões específicas?

As regiões de acúmulo de gordura se diferem conforme o sexo: 

regiões de acumulo de gordura localizada no homens e na mulher
  • Nas mulheres, ocorre principalmente no quadril e nas coxas
  • Nos homens, acontece na região da barriga

Essa diferença de localização da gordura localizada em homens e mulheres acontece principalmente pelos hormônios que favorecem o armazenamento de gordura e que são diferentes em cada um desses grupos.

Por exemplo, nos homens o principal hormônio responsável pelo armazenamento de gordura é o cortisol. Ele está em maior quantidade nesse grupo do que nas mulheres. Esse hormônio é como uma chave que abre as células adiposas do abdômen para que a gordura entre. Em consequência, tem-se um maior acúmulo nessa região. 

O estrogênio, hormônio predominante nas mulheres, tem a chave para abrir as células de gordura e direcionar o armazenamento para coxas e quadril. Além da gordura localizada que se apresenta nessa região, as mulheres sofrem com a formação da celulite, consequência do aumento do tamanho das células de gordura. 

Além disso, essas diferenças de locais de armazenamento de gordura também estão relacionadas às funções fisiológicas e até naturais dos homens e das mulheres. Isso porque o tecido adiposo (que armazena a gordura), além de ter a função de reserva energética,  protege órgãos vitais, fazendo a proteção mecânica em regiões como a abdominal, e serve como um isolante térmico do organismo. Por isso, esses órgãos ficam predominantemente no abdômen. Já nas mulheres, as coxas e o quadril são regiões de suporte importante para a reprodução e a gravidez.

Gordura localizada: como ocorre?

Bom, já sabemos o que é a gordura localizada e também por que ela fica em regiões diferentes nos homens e nas mulheres. Agora vamos entender como as calorias se transformam em gordura.

Primeiramente, para que as calorias se transformem em uma molécula de gordura, é necessária a interação de dois fatores principais: as enzimas e os hormônios. 

Como isso acontece?

Primeiramente, é preciso que as proteínas, os carboidratos ou os lipídeos excedentes da dieta se transformem em moléculas de glicose, que é a energia usada pelo corpo. Depois, a glicose transforma- em triglicérides, que são então armazenadas nas células de gordura e constituem a nossa reserva energética. 

Esse processo de conversão de glicose para triglicerídeos ocorre com a ajuda de uma enzima chamada de fosfodiesterase. Veja a sequência desse processo na imagem abaixo

Processo de conversão da glicose em gordura.
Processo de conversão da glicose em gordura.

Ou seja, a glicose em excesso “encontra-se” com a enzima fosfodiesterase, que se transforma em triglicerídeos. Os hormônios então direcionam os triglicerídeos para as células de gordura. O acúmulo consequente gera a gordura localizada. 

Como perder a gordura localizada?

Para diminuir a gordura localizada, em primeiro lugar é necessário o consumo de menos calorias do que o corpo precisa, ou então um maior gasto do que o consumido pela alimentação. Dessa forma, o corpo vai precisar usar aquela reserva energética que está nas células de gordura. 

Para usar essa gordura , é preciso fazer o caminho inverso, transformando os triglicerídeos em fonte de energia, que é chamada ATP.

Para que ocorra esse processo, os triglicerídeos se “encontram” com outra enzima chamada HS Lipase, gerando com isso ácido graxo e glicerol (lipólise). Na sequência, o ácido graxo e o glicerol vão para a corrente sanguínea, ficando disponível para as células poderem produzir o ATP ou a energia celular. 

A concentração de HS Lipase é estimulada por outra molécula, a AMPc, que está constantemente sendo produzida e inativada conforme as necessidades do corpo. 

Em resumo, quando o corpo precisa de energia e não tem uma fonte disponível, os triglicerídeos que estão nas células de gordura, transformam-se em ácidos graxos e glicerol e vão para na corrente sanguínea. Essas duas moléculas então serão usadas para fornecer a energia necessária. 

Como agem os dermocosméticos redutores?

Como vimos, o corpo usa as fontes de energia que estão armazenadas nas células de gordura. Porém sempre vai buscar primeiro a gordura de mais fácil acesso, que normalmente não é aquela das regiões como culote, abdômen, coxas e braços. Como mencionado, essas reservas são também estratégicas para a proteção do organismo. 

Nesse sentido, os dermocosméticos entram para dizer ao corpo que a fonte de energia de que ele precisa é aquela do local de aplicação do produto. 

E como eles fazem isso?

Bom, cada produto tem a sua forma de ação, mas de modo geral, os produtos redutores estimulam a quebra das células de gordura para se transformar em ácido graxo e glicerol, deixando essas moléculas preparadas para serem usadas como energia. Assim, quando o corpo precisa, vai usar essa energia que está ali de fácil acesso. 

Antes (imagem a esquerda) e depois (imagem a direita)

Por outro lado, se a sua dieta energética é maior do que o gasto, essas moléculas voltam a se transformar em células de gordura. Em outras palavras, para perder medidas é necessário ter um consumo de calorias menor do que o gasto diário, ou um aumento energético com atividades físicas para que o corpo use essa energia sobrando e não ocorra rearmazenamento. 

Portanto, os dermocosméticos são os facilitadores do consumo da energia armazenada no local de aplicação do produto. Assim, o corpo vai usar aquela reserva energética específica de difícil remoção sozinha, e não de uma outra região. 

Por fim, fica a reflexão: perder medidas é uma conta simples de reduzir as calorias ingeridas para aumentar a queima da gordura armazenada.

Por outro lado, o processo para que isso aconteça é complexo e envolve muitos outros fatores como hormônios, enzimas e diversos mensageiros químicos que não abordamos aqui e que ficam para um próximo post 😉

Agora nos conte: o que você achou do conteúdo? Você já sabia como a gordura localizada se forma no corpo? 

Microbiota da pele: o que é e como mantê-la saudável

A microbiota da pele é a colônia de micro-organismos de diferentes espécies como, por exemplo, bactérias, fungos e vírus que habitam as camadas superiores da pele. 

Para se ter uma ideia da dimensão da microbiota, em um adulto calcula-se que a pele contenha cerca de um bilhão de bactérias por cm2 de pele e, dessa forma, ao juntar-se com os outros tipos de micro-organismos que habitam a pele, o número chega a ser dez vezes superior ao número de células humanas.

microbiota da pele

Apesar de estarem na nossa pele, nós não enxergamos esses micro-organismos a olho nu. Porém, eles fazem parte da nossa proteção natural, mantendo a pele saudável, evitando doenças e controlando o pH, o ressecamento e a sensibilidade. 

É como se tivéssemos um exército de bactérias e outros micro-organismos que estão prontos para lutar contra agentes do meio externo que tentam entrar no corpo através da pele.

Nesse sentido, muitas vezes, alguns problemas de pele que aparecem de forma repentina, como ressecamento, dermatites, acnes e outras doenças, estão intimamente relacionados ao desequilíbrio da microbiota da pele. Isso acontece porque os micro-organismos patogênicos (que provocam algum tipo de doença) estão mais fortes e em maior quantidade do que as bactérias que nos protegem.

Vale lembrar que cada pessoa possui a sua microbiota, ela é única e diferente da do seu vizinho, colega e familiar. Isso porque a presença de micro-organismos na pele está intimamente ligada a hábitos pessoais, idade, atividades físicas, alimentação, ambiente em que vive, entre outros fatores. 

Como manter a microbiota da pele saudável

Primeiramente é não agredindo a pele, pois isso causa o desequilíbrio dos micro-organismos presentes nela. 

micro-organismos na pele

Quando falamos em agredir, não quer dizer apenas causar machucados ou sangramentos. Você pode estar agredindo a pele sem nem perceber. Veja 3 exemplos de hábitos e atividades que prejudicam a pele:

1 – Uso de sabonetes que ressecam a pele: sabe aquela sensação de lavar o rosto e sentir a pele repuxando? Pois bem, isso não é nada legal, pois esse produto está desidratando em excesso e deixando a pele desprotegida.

2 – Banhos muito quentes: a água quente facilita a remoção da gordura da pele. Porém, ela acaba retirando mais do que deveria. A nossa camada mais superficial da pele é formada prioritariamente por componentes graxos, e ao retirá-los, estamos deixando a pele desprotegida dos agentes externos.

3 – Lavar a pele mais de duas vezes ao dia: o excesso de higienização retira em excesso os componentes oleosos que fazem a nossa proteção. Por outro lado, o contrário também é verdadeiro: a falta de higiene causa o acúmulo de resíduos na pele, o que desequilibra a quantidade de bactérias boas e ruins.

Agora existem formas de manter a microbiota e a pele saudável

A principal dica para isso é preservar a proteção da pele e sempre usar produtos que fortaleçam a barreira de proteção, e nunca o contrário. Por exemplo: 

  • Use cosméticos que tenham afinidade com a pele, como os de base vegetal e que possuam componentes já presentes na pele, tais como ômegas e ácido hialurônico
  • Procure utilizar sabonetes que mantenham a hidratação e o pH da pele equilibrado.
  • Mantenha a hidratação da pele, visto que isso favorece a formação de barreira protetora.
  • Evite o uso constante de produtos bactericidas, pois eles não matam só as bactérias ruins como acabam diminuindo a quantidade de bactérias protetoras também. 

Se você quer saber mais sobre a microbiota, veja a aula da nossa técnica falando sobre a barreira de proteção da pele e sobre como mantê-la saudável. 

Web aula com Elizete Garcia – Extratos da Terra

Dicas de produtos que protegem a microbiota

Além de produtos que mantêm a hidratação e fortalecem a barreira de proteção da pele, existem produtos que contêm prebióticos.

Os prebióticos nada mais são do que alimento para as bactérias boas da pele, assim elas ficam mais fortes para combater as bactérias ruins que causam doenças ou irritação.

A Extratos da Terra possui alguns produtos com esses componentes. Confira o que eles fazem:

Sérum Multissolução
sérum multissolução

Trata-se de um produto de tratamento para o controle da acne e do processo inflamatório da pele.

O Sérum Multissolução possui o ingrediente ativo Bioecolia®, que preserva e fortalece a microbiota da pele. Dessa forma, tem-se a diminuição de bactérias na pele que provocam a acne.

Máscara Purificante

Essa Máscara Purificante é indicada para peles oleosas e também para o controle de cravos e da acne.

Ela detoxifica e purifica a pele, além de fortalecer e manter a microbiota cutânea saudável.

Hydra Face

É um hidratante facial de uso diário que deixa a pele bonita e saudável. Esse creme contém um prebiótico chamado inulina, que tem a capacidade de absorver e de reter grandes quantidades de água.

Dessa forma, mantém-se a hidratação e a preservação da microbiota saudável.

Agora nos conte, você tem cuidado da sua microbiota da pele?

O que são prebióticos e como eles podem trazer benefícios para a pele?

Prebióticos na composição de dermocosméticos é cada vez mais comum, mas você sabe o que são e qual a sua importância para a pele?

De forma resumida, os prebióticos promovem um ambiente favorável ao desenvolvimento de micro-organismos responsáveis pela proteção da pele e que fazem bem ao nosso corpo. Com o aumento desses micro-organismos, ocorre a diminuição das taxas de micro-organismos considerados prejudiciais à pele e que podem provocar o processo inflamatório e o aparecimento de acne, por exemplo.

A pele humana é rica em micro-organismos essenciais para a saúde. Para se ter noção do que isso significa, um centímetro quadrado de pele pode conter até um bilhão deles. Esses micro-organismos são chamados de microbioma cutâneo. A maior parte já é adquirida no nascimento e está diretamente relacionada à saúde do corpo em sua totalidade. Esses microrganismos são divididos em dois grupos, os benéficos e os patogênicos. Os patogênicos são aqueles que podem provocar algum tipo de reação não desejada na pele, como acne, alergias ou outras doenças referentes à derme. Já os benéficos são aqueles que ajudam a proteger a barreira de proteção da pele e compõem o principal fator de proteção da imunidade, ficando na camada cutânea mais superficial. Quando ocorre algum tipo de desequilíbrio dessa microbiota, como os provocados pela poluição do ar, má alimentação, sabonetes muito agressivos que ressecam a pele, entre outros, algumas bactérias podem se comportar de forma diferente do que o normal. Muitas delas vivem normalmente na pele sem causar nenhum problema, porém, quando ocorre esse desequilíbrio do microbioma, algumas bactérias podem causar irritações e inflamações. Um exemplo é o que acontece com a bactéria da acne, que está presente na pele íntegra, mas, quando o quadro de acne está instalado, essa bactéria passa a ser mais potente e patogênica, provocando o processo de inflamação.

Um grande erro que pessoas com pele oleosa cometem é lavar várias vezes o rosto durante o dia, o que deixa a barreira de proteção prejudicada e pode causar ou piorar o quadro de acne ou irritação cutânea. Não é preciso lavar a pele facial mais do que duas vezes ao dia e é importante usar hidratantes e sabonetes indicados ao seu tipo de pele, além de ser indicado aplicar e reaplicar diariamente o filtro solar. Para ajudar nesse controle da barreira cutânea é que surgiram os prebióticos, que, como mencionado anteriormente, favorecem o desenvolvimento de bactérias boas que protegem o organismo e diminuem o número de bactérias prejudiciais à pele.

Dermocosmético com prebióticos

O Sérum Multissolução da linha Dermosoft Antiacne foi desenvolvido para controlar o processo inflamatório e o excesso de oleosidade, bem como para hidratar e fortalecer a barreira de proteção da pele. Esse sérum é um exemplo de produto que utiliza o benefício dos prebióticos graças ao Bioecolia®, promovendo o desenvolvimento de micro-organismos bons e equilibrando o crescimento das bactérias que agravam a formação da acne. Além disso, esse prebiótico estimula os peptídeos antimicrobianos essenciais que auxiliam na manutenção do equilíbrio microbiano.

O Sérum Multissolução é ideal para peles acneicas, pois, além de controlar as reações indesejadas que essa pele apresenta, como o vermelhidão, a inflamação e o excesso de oleosidade, também hidrata, restabelecendo o equilíbrio da barreira cutânea e do microbioma, que, como vimos, é muito importante para manter a saúde da pele e do organismo em seu conjunto.   

Dessa forma, manter a barreira de proteção da pele é fundamental para evitar o desequilíbrio do microbioma cutâneo e reações alérgicas, irritações e inflamações como a acne.  Um das principais medidas que podemos tomar para garantir a proteção da pele é sempre mantê-la hidratada, independentemente se sua pele é oleosa ou seca. A hidratação é fundamental para manter a saúde da pele, manter o pH ideal e fortalecer o sistema imunológico.

Se você ficou interessada em entender um pouco mais sobre o microbioma cutâneo, tem uma matéria inteirinha falando sobre isso na Revista de Negócios da Indústria Estética, edição temática sobre Mibrobioma cutâneo.