Arquivo da categoria: Saúde

Queda de cabelo: por que os cabelos caem e como evitar

A queda de cabelo é um problema que afeta e preocupa grande parte da população mundial e como resultado pode ter um impacto importante na autoestima e na personalidade das pessoas.

E você? Algum dia já se preocupou ao perceber a quantidade de fios de cabelo que encontra no chão da sua casa?

queda excessiva de cabelo

Pois saiba que isso é mais comum do que se imagina.

A Redação Hora divulgou um dado bem expressivo sobre a queda de cabelo. Segundo a reportagem, o problema atinge ao menos 25% das brasileiras com idade entre 35 e 40 anos, e o percentual sobe para 50% a partir da quarta década de vida. 

Por outro lado, os homens, segundo a Associação Brasileira de Cirurgia de Restauração Capilar, estima-se que mais de 25 milhões de brasileiros do sexo masculino sofram de algum grau de calvície. A primeira mudança neles é geralmente a queda do cabelo nas áreas temporais, que ocorre em cerca de 96% dos homens brancos maduros, incluindo aqueles sem tendência à calvície.

Por que os cabelos caem

A perda de cabelos é um processo natural do ciclo de crescimento dos fios. Diariamente perdemos cerca de 80 a 120 fios de cabelo, e isso é normal. Por outro lado, quando esse número começa a se acentuar, passamos a ter o que se configura como queda de cabelos.

Acima de tudo, para tratar e prevenir esse problema, é importante entender como funciona o ciclo de crescimento dos fios.

Fases de crescimento dos fios

fase de crescimento
Fases do crescimento dos fios de cabelo. Fase anágena, catágena e telógena.

O crescimento dos fios do cabelo divide-se em 3 fases:

1 – Fase anágena: quando o cabelo é efetivamente produzido, e o fio está em crescimento. Tem duração de 2 a 6 anos, e aproximadamente 90% dos cabelos do couro cabeludo encontram-se nesta fase.

2 – Fase catágena: é uma fase curta, que dura de 2 a 4 semanas, e de transição. Os fios param de crescer, e o folículo que produz o cabelo se contrai em direção à superfície. 

3 – Fase telógena: é caracterizada pelo repouso do folículo, sem qualquer atividade. Esta fase dura de 2 a 4 meses e, à medida que o fio entra na fase telógena, novas células vão começando a se dividir, formando um novo fio. Posteriormente, o fio que estava em repouso cai, dando espaço para o desenvolvimento do novo. 

Quando acontecem alterações neste ciclo, começa-se a perceber a queda acentuada dos fios. 

A perda anormal de cabelos, ou seja, aproximadamente mais de 100 fios por dia, pode ser percebida através de: 

  • Queda ao passar as mãos pelos cabelos
  • Perda excessiva de fios ao lavar e ao pentear
  • Observação de vários fios de cabelos soltos sobre o travesseiro ao acordar
  • Perda de volume dos cabelos
  • Quando conseguir observar facilmente grandes áreas do couro cabeludo

Ou seja, perder cabelo é um processo natural do ciclo de vida dos fios. Mas, quando essa queda é maior do que aproximadamente 100 fios, trata-se de um alerta que indica que algum fator está alterando o crescimento normal dos cabelos. 

Causas da queda de cabelo 

Muitos fatores podem interferir no crescimento dos fios, incluindo por exemplo, medicamentos, radioterapia, quimioterapia, exposição a substâncias químicas, fatores nutricionais e hormonais, doenças da tireoide, doença de pele generalizada ou local, e também estresse.

Dois desses fatores estão muito relacionados ao estilo de vida, que são a dieta alimentar e o estresse.

Primeiramente, uma dieta não balanceada causa deficiência de proteínas, aminoácidos e vitaminas, o que prejudica a nutrição do folículo capilar e enfraquece o fio, levando à queda precoce. 

O especialista Dr. Francisco Le Voci explica que o estresse, quer seja físico ou emocional, pode acarretar o que chamamos de eflúvio telógeno. O estresse pode provocar uma aceleração desse ciclo de crescimento dos fios e, com isso, muitos fios caem antes da hora, ou seja, o ciclo torna-se mais acelerado. A queda diária normal, que varia entre 80 a 120 fios por dia, pode se acentuar, chegando a até 600 fios por dia.

A queda anormal também pode estar ligada a fatores genéticos que desencadeiam a calvície tanto em homens quanto em mulheres

4 mitos sobre a queda de cabelo

1- Cortar o cabelo evita a queda

Mito, pois o corte retira parte da extensão do fio e não altera o ciclo de crescimento. Por outro lado, o corte frequente deixa o cabelo mais volumoso e com mais viço. Pois retira as pontas que são prejudicadas pelo sol, mar e tratamento químicos.

2 – Lavar os cabelos frequentemente aumenta a queda

Por mais que pareça aumentar a queda, isso é um mito. O processo de lavagem faz com que os cabelos que já caíram e estão presos nos outros fios se soltem, dando a impressão de que a lavagem aumenta a queda. 

3 – A amamentação aumenta a queda dos cabelos

Isso é um mito, pois na verdade trata-se de um período normal de adaptação do corpo. O que acontece é que durante a gestação os cabelos crescem mais devido à influência dos hormônios. Posteriormente, após o parto, as taxas hormonais vão voltando à normalidade, e um número maior de folículos entra na fase telógena, fazendo com que os fios caiam com mais volume para serem substituídos por novos. 

4 – O excesso de testosterona nos homens causa a queda do cabelo

Mito, pois a causa da queda dos fios, e principalmente a calvície, não se dá pelo aumento da testosterona, e sim pelo aumento da 5 alfa-redutase, que é um fator geneticamente determinado. Mas o mais importante, no caso de homens com tendência à calvície é tratar o couro cabeludo para retardar esse processo. 

Como tratar e evitar a queda de cabelo

Quando se percebe que os cabelos estão caindo mais do que o normal, é sempre bom investigar as causas. Para isso, procure um especialista. 

Reveja também seus hábitos. Você tem se alimentado adequadamente?

Como estão seu emocional e seu estado físico? Sua rotina é muito estressante? Se sim, repense e redefina seus objetivos 😉

Mas calma, também existem soluções para evitar a queda dos fios e estimular o crescimento de novos, mais fortes e saudáveis. 

Hoje os dermocosméticos são muito eficientes e aliados importantes nessa missão. O Tônico Nano Hair, por exemplo, é um blend de vitaminas, minerais e aminoácidos, para repor de forma tópica esses nutrientes diretamente onde nasce o fio. Isso é possível graças à tecnologia nanoencapsulada dos ingredientes. 

Além do tônico, a Extratos da Terra também possui uma linha completa para redução da queda e estímulo do crescimento dos fios de cabelo, barba e sobrancelhas.

Se você está com muita queda de cabelo, investigue as causas. Em conclusão, prevenir e tratar o problema no início sempre é a melhor indicação. 

Mas se ainda tiver dúvidas, deixe nos comentários a sua pergunta que temos uma equipe pronta para te ajudar 😉

Calvície feminina: causas e tratamento

A calvície feminina pode se transformar num problema de autoestima muito sério. Já que o cabelo é de fundamental importância para a imagem pessoal, principalmente quando se trata do sexo feminino.  Apesar ser pequena a porcentagem de mulheres que sofrem com a alopecia androgenética, o problema de fato ocorre e é influenciado por ação genética e hormonal, como nos homens.

Mas as mulheres ficam carecas?

Sim, a calvície feminina geralmente se inicia logo após a puberdade, quando os hormônios sexuais começam a ser produzidos. A evolução é lenta.

Primeiramente, ocorre uma rarefação difusa dos cabelos, que se tornam finos e têm o seu tamanho diminuído. Como resultado, ocorre a queda mais frequente, sem o crescimento de um novo fio.

Por outro lado, com a idade avançada, pode ocorrer, inclusive, de uma mulher ficar careca, porém não é algo muito comum.

Tudo pode se agravar se a mulher tiver alguma patologia ligada a fatores hormonais ou endócrinos. Principalmente, após a menopausa, quando  há uma alteração hormonal importante e falta de nutrientes e oligoelementos.

calvície e quada capilar

Por outro lado, não é só os fatores genéticos que podem causar a queda dos fios. Pois as mulheres acumulam funções no seu dia a dia, que as deixam no grupo de maior nível de estresse, que pode causar a queda dos cabelos.

Além disso, as mulheres fazem uso de cosméticos para os cabelos, muitas vezes não adequados, e ainda de muita química, que prejudica os fios, deixando-os mais fracos.

Um exemplo das alterações no fio por procedimentos estéticos é a temperatura alcançada pelas pranchas. Essa temperatura acaba formando bolhas ao longo do fio, proporcionando a quebra do cabelo e deixando-o frágil, enfim, um transtorno!

Falhas nas sobrancelhas

De forma similar ao que acontece com o cabelo, as sobrancelhas também possuem um papel fundamental na autoimagem da mulher.

Nem todas têm uma sobrancelha volumosa, capaz de seguir um design mais moderno. Algumas até já tiveram, mas, seguindo padrões dos anos 70, arrancaram tudo, já que a moda naquele momento era apenas ter uma fileira de pelos.

Mas como o crescimento das sobrancelhas difere do crescimento do cabelo, algumas mulheres não conseguem mais ter um volume desejado para um desenho adequado de suas sobrancelhas.

Tratamento da calvície feminina e falha das sobrancelhas

No tratamento para a calvície feminina, em muitos casos é preciso interferência médica e suplementações vitamínicas. Porém, o uso de shampoo e outros produtos para o cuidado do couro cabeludo com ingredientes voltados ao tratamento da queda é fundamental.

A linha Terapia Capilar da Extratos da Terra é uma excelente opção para o complemento dos tratamentos capilares.

Além de nutrientes importantes para o fortalecimento dos fios já existentes e crescimento de novos, os produtos controlam a oleosidade e protegem os cabelos da ação do tempo.

Os produtos inclusive fortalece os fios danificados por químicas e fragilizados devido a ações externas e até por conta do próprio envelhecimento.

Mas é importante frisar que o tratamento deve ser iniciado assim que se perceber o afinamento dos fios ou queda abundante. De modo que o problema não se agrave.

Enfim, o legal é saber que a Linha Terapia Capilar pode ser usada no couro cabeludo, reforçando a saúde dos fios e controlando problemas como oleosidade e queda.

Ela pode ser usada também em toda a extensão dos fios, devolvendo-lhes elasticidade e prevenindo a quebra. Além de proporcionar excelente hidratação.

Ah, e a linha conta com um tônico específico para ser usada nas sobrancelhas. Ele promove o aumento da espessura e crescimento de novos fios, preenchendo as falhas.

Não é maravilhoso?

Conheça e teste os benefícios dos produtos desenvolvido pela Extratos da Terra, você encontra os produtos de tratamento capilar em nosso site extratosdaterra.com.br ou em um de nossos distribuidores.

Experimente!

Elizete Garcia
Coordenadora técnica Extratos da Terra

Rejuvenescimento íntimo: quais técnicas e produtos podem ser usados

Primeiramente, o rejuvenescimento íntimo tem ganhado o interesse de muitas mulheres, que procuram o tratamento para que possam se sentir melhor consigo mesmas ou para diminuir os efeitos da pós-menopausa nessa região. Anteriormente, falamos das alterações que acontecem na pele na menopausa e como diminuir esses efeitos no post “Pele na menopausa”.

Mas, afinal, o que é rejuvenescimento íntimo?

São diversas opções de tratamentos realizados por profissionais habilitados ou especializados na região íntima feminina. Ou seja, entende-se por região íntima as áreas como axilas, virilha, pregas do pescoço e parte interna da coxa. 

Existem tratamentos estéticos e outros que visam a melhora da saúde da mulher, a fim de diminuir as alterações provocadas pelo envelhecimento e que causam desconfortos. Há opções de tratamentos não invasivos bem como possibilidades cirúrgicas. 

regioes intimas

Neste artigo, vamos abordar o tratamento não invasivo com a finalidade de melhora estética. O resultado é a melhora da autoestima e do bem-estar da mulher com o seu corpo. 

Em primeiro lugar, os principais benefícios do rejuvenescimento íntimos são:

  • Diminuição da flacidez e aumento da firmeza
  • Clareamento da pele 
  • Aumento do volume perdido com a idade ou diminuição da gordura localizada na região íntima
  • Melhora da autoestima e da autoconfiança 

Quando fazer esses tratamentos ?

Não existe uma idade preestabelecida para fazer o rejuvenescimento íntimo.

menopausa

Porém,  a procura por esse procedimento é mais comum em mulheres com idade entre 50 e 60 anos, época em que começam a sentir os efeitos da menopausa, pois já sofrem queda hormonal.

Com a idade, ocorre absorção da gordura dos grandes lábios, o que torna a pele flácida e com rugas. Isso faz parte do processo natural do corpo da mulher. Por outro lado, essas alterações podem deixar a mulher desconfortável e menos confiante, levando a procura por tratamentos para reverter esses sinais do envelhecimento íntimo. 

Além dos efeitos da idade, a flacidez nos grandes lábios também pode ser causada por outros fatores como:

  • Fatores genéticos
  • Sedentarismo e falta de estímulo muscular no local
  • Múltiplos partos ou partos normais
  • Pós-cirurgia bariátrica, que diminui a gordura localizada e deixa a pele mais frouxa

Outro procedimento muito procurado é o clareamento da região íntima feminina. Nesse caso, o escurecimento da região não está ligado à idade, mas sim a outros fatores que levam mulheres jovens a procurar por esses tratamentos, como, por exemplo: 

  • Atrito de movimento
  • Irritação da região (ex.: roupas apertadas)
  • Ardor e assadura causada pelo atrito 
  • Queratina e melanina, que são estimuladas para proteção do local que sofre atrito

Em seguida, vamos abordar mais detalhadamente estes dois tipos de tratamento íntimo: rejuvenescimento não invasivo e clareamento. 

1 – Preenchimento e rejuvenescimento íntimo sem cirurgias

Como mencionado, com a idade ocorre uma diminuição das células de gordura na região íntima, principalmente nos grandes e pequenos lábios. Essa alteração é decorrente da diminuição dos hormônios e da redistribuição de gordura que acontece naturalmente no corpo. 

Para resolver esse problema sem apelar para cirurgias, existem no mercado algumas opções que visam restabelecer o volume e o aumento da firmeza da pele nessa região. 

Em primeiro lugar, para dar volume é necessário o uso de dermocosméticos que façam o preenchimento lipídico (que estimulem um novo armazenamento de gordura no local). Por outro lado, o preenchimento hídrico também é importante, pois hidrata a pele, deixando-a mais resistente e volumosa. 

Além dos dermocosméticos, procedimentos como microagulhamento, laser e radiofrequência são opções para o tratamento dessa região com a finalidade de preenchimento e aumento da firmeza. 

Em contrapartida, mulheres mais jovens sentem-se desconfortáveis pelo aumento excessivo do volume presente na região pubiana. Nesse caso, elas podem optar por tratamentos redutores com dermocosméticos lipolíticos e procedimentos como o ultrassom e o microagulhamento. 

2 – Clareamento de regiões íntimas

As regiões que se localizam na parte interna dos membros, como axilas, virilha e região perianal, podem sofrer com a hiperpigmentação. Normalmente, isso acontece por conta do atrito da pele nessas regiões, causado por fatores como:

  • Aumento de peso
  • Uso de roupas apertadas
  • Uso de desodorantes com álcool ou produtos cosméticos que não preservam a microbiota e a proteção da pele.

O fototipo de pele também influencia. Peles mais escuras tendem a apresentar hiperpigmentação, já que a produção de melanina é mais intensa do que em peles mais claras. 

Antes de se começar qualquer tratamento clareador, é necessário uma boa avaliação das causas que estão levando ao aparecimento de manchas nesses locais para que se possa montar o tratamento ideal.

Por exemplo, se a mancha na virilha é decorrente do atrito da pele, não adianta apenas tratar com produtos que diminuam a produção de melanina. Esse tipo de tratamento resolve o problema no curto prazo, mas a mancha vai voltar porque a causa não foi resolvida. Nesse caso, é necessário associar os produtos clareadores com outros que aumentem a hidratação, além de substituir roupas apertadas por outras que não causem atrito direto com a pele.

Outro fator importante é não utilizar produtos muito agressivos como peelings descamativos na região. Normalmente são regiões mais quentes do corpo, e o uso de produtos que retiram a proteção natural da pele vai estimular o sistema de defesa e acionar a produção de mais melanina, o que faz com que a mancha volte a aparecer. Por isso, procure sempre tratamentos que preservem a proteção natural, que inibam a produção de melanina e que aumentem a hidratação. 

Além dos cosméticos, o tratamento pode ser associado a procedimentos como microagulhamento e laser específicos para clarear a pele. 

Última dica
profissional de estetica

Para finalizar, um fator muito importante em qualquer um desses tratamentos é procurar um profissional qualificado e especializado para fazer esses procedimentos. Isso porque a região íntima é delicada e a fisiologia do local deve ser respeitada. 

Afinal, por que precisamos utilizar protetor solar no inverno?

“Filtro solar, nunca deixem de usar filtro solar. Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro, seria esta: usem o filtro solar”. Já dizia Pedro Bial em seu memorável texto com dicas para uma vida longa e feliz. Os benefícios a longo prazo do uso de filtro solar estão comprovados pela ciência, e isso todo mundo já sabe. Mas, com a chegada do inverno, fica aquela dúvida: será que faz muita diferença não passar o protetor solar?

A resposta é única: S-I-M! Faz toda a diferença, mesmo que o sol não pareça ser o mesmo do verão. Essa sensação é justificada, pois os raios ultravioleta B (ou UVB) alternam sua intensidade em alguns períodos – como outono e inverno, dias mais frios e nublados -, mas os raios ultravioleta A (ou UVA) mantêm o mesmo poder de penetração durante o ano todo.

Os raios ultravioleta A penetram a camada de ozônio com facilidade e nos atingem de forma menos intensa, porém contínua. Por isso, têm relação direta com o melanoma, que é um câncer mais severo. Já os raios ultravioleta B são relacionados aos outros casos de câncer de pele – os mais comuns, que ocorrem em maior número.

Mas doenças graves não são o único perigo. Essas radiações ainda podem causar envelhecimento precoce, manchas, rugas e flacidez. Percebeu a necessidade de cuidar da sua pele, protegendo-a com filtro solar mesmo nos dias em que o sol está mais tímido? Acredite: no futuro, você vai ficar grata (e linda!) por ter ouvido essas dicas.

Além disso, deve haver um cuidado redobrado principalmente por pessoas com o fototipo 2 de pele – ou seja, pessoas com a pele muito clara, loiras ou ruivas e de olhos claros. Por possuírem características mais sensíveis, essas pessoas estão mais vulneráveis ao câncer de pele. Portanto, para quem pertence a esse grupo, é indicado, além do protetor solar, o uso de proteções mecânicas, como bonés, chapéus e óculos escuros.

Já para as pessoas que não possuem a pele sensível, somente o uso diário do filtro solar já é suficiente. Ainda assim, recomenda-se utilizá-lo não somente no rosto. As regiões do corpo em que o câncer de pele é mais comum são aquelas mais expostas à radiação solar e à luz artificial, como face, braços, tronco e também as mãos. No inverno, protetores solares até o fator 30 são suficientes. Mas vale lembrar daquela regrinha básica: evite a exposição ao sol entre 10h e 15h, os horários mais perigosos.

Se você tem problemas com excesso de oleosidade, é bom certificar-se de que está utilizando o produto próprio para o seu tipo de pele, como o Dermosoft Protect Fotoprotetor Facial da Extratos da Terra, que tem toque seco e textura adaptada para peles oleosas. Ele deixa seu rosto livre dos danos causados pelos raios UVA e UVB, radicais livres e agentes como o vento, a poluição e a própria luz ambiente, além de hidratar a pele e prevenir o fotoenvelhecimento.

Para completar, fique de olho nas dicas de cuidados específicos para a pele por faixa de idade:

– 25 a 40 anos: para pessoas com essas idades, a palavra-chave é prevenção. Utilize diariamente protetor solar de amplo espectro, com proteção UVA e UVB, higienize a pele e aplique cremes antioxidantes tópicos ricos em princípios ativos como a vitamina C, a vitamina E ou o extrato do kakadu, por exemplo.

Indicamos: Dermosoft Protect FPS 30 e Dermosoft Revitalize Dermo Vit C;

– Acima de 40 anos: além dos fotoprotetores e antioxidantes, utilize agentes firmadores, antirrugas e despigmentantes, se necessário. Isso porque as peles com mais de 40 anos começam a apresentar perda de elastina e colágeno, e sua hidratação começa a sofrer alterações.

Indicamos: Dermosoft Protect FPS 30 e Dermosoft Day Reverse Anti-Idade Facial;

– A partir dos 50 anos: nessa fase, deve-se usar produtos que estimulam a produção de colágeno na face e ao redor dos olhos. Tratamentos estéticos como peelings e lasers são recomendados, além de preenchedores e séruns que estimulem a firmeza muscular.

Indicamos: Dermosoft Protect FPS 30 e Dermosoft Revitalize Sérum Anti-idade

No fim das contas, o ponto-chave é sempre a prevenção. É imprescindível consultar um dermatologista regularmente, proteger-se da exposição solar excessiva, alimentar-se bem e ingerir muito líquido, principalmente água.

Gostou das dicas? Deixe seu comentário aqui embaixo. 😉

Entendendo a gordura localizada

A gordura localizada é o resultado do acúmulo de energia que não foi gasta pelo corpo e que é armazenada em forma de gordura em algumas regiões.

Em primeiro lugar, essa energia vem da ingestão de alimentos como carboidratos, proteínas e gorduras consumidas em uma quantidade maior do que as necessidades do corpo. Em consequência, o organismo entende que precisa guardar uma reserva para quando, por algum motivo, você deixar de se alimentar. Esse processo é um instinto natural de sobrevivência.

Por isso, constantemente o excesso de energia se transforma em células de gordura, que ficam armazenadas no tecido adiposo. O acúmulo dessa gordura em determinados locais dá origem à gordura localizada, que acaba incomodando e afetando a autoestima. 

Imagem representativa da gordura localizada
Onde os pontos da imagem representam:
1- O tecido adiposo
2 – A célula de gordura (adipócito)

Por outro lado, alguns fatores externos também favorecem a formação da gordura localizada, tais como:

  • Má postura, que deforma o contorno corporal
  • Excesso de peso devido ao alto consumo de calorias
  • Falta de exercícios físicos, que faz com que as calorias em excesso não sejam gastas. 

Por que a gordura localizada se acumula em regiões específicas?

As regiões de acúmulo de gordura se diferem conforme o sexo: 

regiões de acumulo de gordura localizada no homens e na mulher
  • Nas mulheres, ocorre principalmente no quadril e nas coxas
  • Nos homens, acontece na região da barriga

Essa diferença de localização da gordura localizada em homens e mulheres acontece principalmente pelos hormônios que favorecem o armazenamento de gordura e que são diferentes em cada um desses grupos.

Por exemplo, nos homens o principal hormônio responsável pelo armazenamento de gordura é o cortisol. Ele está em maior quantidade nesse grupo do que nas mulheres. Esse hormônio é como uma chave que abre as células adiposas do abdômen para que a gordura entre. Em consequência, tem-se um maior acúmulo nessa região. 

O estrogênio, hormônio predominante nas mulheres, tem a chave para abrir as células de gordura e direcionar o armazenamento para coxas e quadril. Além da gordura localizada que se apresenta nessa região, as mulheres sofrem com a formação da celulite, consequência do aumento do tamanho das células de gordura. 

Além disso, essas diferenças de locais de armazenamento de gordura também estão relacionadas às funções fisiológicas e até naturais dos homens e das mulheres. Isso porque o tecido adiposo (que armazena a gordura), além de ter a função de reserva energética,  protege órgãos vitais, fazendo a proteção mecânica em regiões como a abdominal, e serve como um isolante térmico do organismo. Por isso, esses órgãos ficam predominantemente no abdômen. Já nas mulheres, as coxas e o quadril são regiões de suporte importante para a reprodução e a gravidez.

Gordura localizada: como ocorre?

Bom, já sabemos o que é a gordura localizada e também por que ela fica em regiões diferentes nos homens e nas mulheres. Agora vamos entender como as calorias se transformam em gordura.

Primeiramente, para que as calorias se transformem em uma molécula de gordura, é necessária a interação de dois fatores principais: as enzimas e os hormônios. 

Como isso acontece?

Primeiramente, é preciso que as proteínas, os carboidratos ou os lipídeos excedentes da dieta se transformem em moléculas de glicose, que é a energia usada pelo corpo. Depois, a glicose transforma- em triglicérides, que são então armazenadas nas células de gordura e constituem a nossa reserva energética. 

Esse processo de conversão de glicose para triglicerídeos ocorre com a ajuda de uma enzima chamada de fosfodiesterase. Veja a sequência desse processo na imagem abaixo

Processo de conversão da glicose em gordura.
Processo de conversão da glicose em gordura.

Ou seja, a glicose em excesso “encontra-se” com a enzima fosfodiesterase, que se transforma em triglicerídeos. Os hormônios então direcionam os triglicerídeos para as células de gordura. O acúmulo consequente gera a gordura localizada. 

Como perder a gordura localizada?

Para diminuir a gordura localizada, em primeiro lugar é necessário o consumo de menos calorias do que o corpo precisa, ou então um maior gasto do que o consumido pela alimentação. Dessa forma, o corpo vai precisar usar aquela reserva energética que está nas células de gordura. 

Para usar essa gordura , é preciso fazer o caminho inverso, transformando os triglicerídeos em fonte de energia, que é chamada ATP.

Para que ocorra esse processo, os triglicerídeos se “encontram” com outra enzima chamada HS Lipase, gerando com isso ácido graxo e glicerol (lipólise). Na sequência, o ácido graxo e o glicerol vão para a corrente sanguínea, ficando disponível para as células poderem produzir o ATP ou a energia celular. 

A concentração de HS Lipase é estimulada por outra molécula, a AMPc, que está constantemente sendo produzida e inativada conforme as necessidades do corpo. 

Em resumo, quando o corpo precisa de energia e não tem uma fonte disponível, os triglicerídeos que estão nas células de gordura, transformam-se em ácidos graxos e glicerol e vão para na corrente sanguínea. Essas duas moléculas então serão usadas para fornecer a energia necessária. 

Como agem os dermocosméticos redutores?

Como vimos, o corpo usa as fontes de energia que estão armazenadas nas células de gordura. Porém sempre vai buscar primeiro a gordura de mais fácil acesso, que normalmente não é aquela das regiões como culote, abdômen, coxas e braços. Como mencionado, essas reservas são também estratégicas para a proteção do organismo. 

Nesse sentido, os dermocosméticos entram para dizer ao corpo que a fonte de energia de que ele precisa é aquela do local de aplicação do produto. 

E como eles fazem isso?

Bom, cada produto tem a sua forma de ação, mas de modo geral, os produtos redutores estimulam a quebra das células de gordura para se transformar em ácido graxo e glicerol, deixando essas moléculas preparadas para serem usadas como energia. Assim, quando o corpo precisa, vai usar essa energia que está ali de fácil acesso. 

Antes (imagem a esquerda) e depois (imagem a direita)

Por outro lado, se a sua dieta energética é maior do que o gasto, essas moléculas voltam a se transformar em células de gordura. Em outras palavras, para perder medidas é necessário ter um consumo de calorias menor do que o gasto diário, ou um aumento energético com atividades físicas para que o corpo use essa energia sobrando e não ocorra rearmazenamento. 

Portanto, os dermocosméticos são os facilitadores do consumo da energia armazenada no local de aplicação do produto. Assim, o corpo vai usar aquela reserva energética específica de difícil remoção sozinha, e não de uma outra região. 

Por fim, fica a reflexão: perder medidas é uma conta simples de reduzir as calorias ingeridas para aumentar a queima da gordura armazenada.

Por outro lado, o processo para que isso aconteça é complexo e envolve muitos outros fatores como hormônios, enzimas e diversos mensageiros químicos que não abordamos aqui e que ficam para um próximo post 😉

Agora nos conte: o que você achou do conteúdo? Você já sabia como a gordura localizada se forma no corpo?