Arquivo da categoria: Saúde

Microbiota da pele: o que é e como mantê-la saudável

A microbiota da pele é a colônia de micro-organismos de diferentes espécies como, por exemplo, bactérias, fungos e vírus que habitam as camadas superiores da pele. 

Para se ter uma ideia da dimensão da microbiota, em um adulto calcula-se que a pele contenha cerca de um bilhão de bactérias por cm2 de pele e, dessa forma, ao juntar-se com os outros tipos de micro-organismos que habitam a pele, o número chega a ser dez vezes superior ao número de células humanas.

microbiota da pele

Apesar de estarem na nossa pele, nós não enxergamos esses micro-organismos a olho nu. Porém, eles fazem parte da nossa proteção natural, mantendo a pele saudável, evitando doenças e controlando o pH, o ressecamento e a sensibilidade. 

É como se tivéssemos um exército de bactérias e outros micro-organismos que estão prontos para lutar contra agentes do meio externo que tentam entrar no corpo através da pele.

Nesse sentido, muitas vezes, alguns problemas de pele que aparecem de forma repentina, como ressecamento, dermatites, acnes e outras doenças, estão intimamente relacionados ao desequilíbrio da microbiota da pele. Isso acontece porque os micro-organismos patogênicos (que provocam algum tipo de doença) estão mais fortes e em maior quantidade do que as bactérias que nos protegem.

Vale lembrar que cada pessoa possui a sua microbiota, ela é única e diferente da do seu vizinho, colega e familiar. Isso porque a presença de micro-organismos na pele está intimamente ligada a hábitos pessoais, idade, atividades físicas, alimentação, ambiente em que vive, entre outros fatores. 

Como manter a microbiota da pele saudável

Primeiramente é não agredindo a pele, pois isso causa o desequilíbrio dos micro-organismos presentes nela. 

micro-organismos na pele

Quando falamos em agredir, não quer dizer apenas causar machucados ou sangramentos. Você pode estar agredindo a pele sem nem perceber. Veja 3 exemplos de hábitos e atividades que prejudicam a pele:

1 – Uso de sabonetes que ressecam a pele: sabe aquela sensação de lavar o rosto e sentir a pele repuxando? Pois bem, isso não é nada legal, pois esse produto está desidratando em excesso e deixando a pele desprotegida.

2 – Banhos muito quentes: a água quente facilita a remoção da gordura da pele. Porém, ela acaba retirando mais do que deveria. A nossa camada mais superficial da pele é formada prioritariamente por componentes graxos, e ao retirá-los, estamos deixando a pele desprotegida dos agentes externos.

3 – Lavar a pele mais de duas vezes ao dia: o excesso de higienização retira em excesso os componentes oleosos que fazem a nossa proteção. Por outro lado, o contrário também é verdadeiro: a falta de higiene causa o acúmulo de resíduos na pele, o que desequilibra a quantidade de bactérias boas e ruins.

Agora existem formas de manter a microbiota e a pele saudável

A principal dica para isso é preservar a proteção da pele e sempre usar produtos que fortaleçam a barreira de proteção, e nunca o contrário. Por exemplo: 

  • Use cosméticos que tenham afinidade com a pele, como os de base vegetal e que possuam componentes já presentes na pele, tais como ômegas e ácido hialurônico
  • Procure utilizar sabonetes que mantenham a hidratação e o pH da pele equilibrado.
  • Mantenha a hidratação da pele, visto que isso favorece a formação de barreira protetora.
  • Evite o uso constante de produtos bactericidas, pois eles não matam só as bactérias ruins como acabam diminuindo a quantidade de bactérias protetoras também. 

Se você quer saber mais sobre a microbiota, veja a aula da nossa técnica falando sobre a barreira de proteção da pele e sobre como mantê-la saudável. 

Web aula com Elizete Garcia – Extratos da Terra

Dicas de produtos que protegem a microbiota

Além de produtos que mantêm a hidratação e fortalecem a barreira de proteção da pele, existem produtos que contêm prebióticos.

Os prebióticos nada mais são do que alimento para as bactérias boas da pele, assim elas ficam mais fortes para combater as bactérias ruins que causam doenças ou irritação.

A Extratos da Terra possui alguns produtos com esses componentes. Confira o que eles fazem:

Sérum Multissolução
sérum multissolução

Trata-se de um produto de tratamento para o controle da acne e do processo inflamatório da pele.

O Sérum Multissolução possui o ingrediente ativo Bioecolia®, que preserva e fortalece a microbiota da pele. Dessa forma, tem-se a diminuição de bactérias na pele que provocam a acne.

Máscara Purificante

Essa Máscara Purificante é indicada para peles oleosas e também para o controle de cravos e da acne.

Ela detoxifica e purifica a pele, além de fortalecer e manter a microbiota cutânea saudável.

Hydra Face

É um hidratante facial de uso diário que deixa a pele bonita e saudável. Esse creme contém um prebiótico chamado inulina, que tem a capacidade de absorver e de reter grandes quantidades de água.

Dessa forma, mantém-se a hidratação e a preservação da microbiota saudável.

Agora nos conte, você tem cuidado da sua microbiota da pele?

Cuidar mais de si e dos outros foi a grande lição de 2020

Em 2020, ano tão incomum, a frase “cuidar mais de si e dos outros” foi uma das grandes lições aprendidas.

coronavirus

Voltando um ano atrás, quem imaginaria que o mundo inteiro fosse passar por períodos de quarentena, isolamento, trabalho remoto, quedas gigantes na economia e escassez de produtos? 

Muitas coisas desagradáveis aconteceram neste ano, e os maiores desafios foram o isolamento e o distanciamento das pessoas que amamos e a quem queremos bem. Tivemos ainda que aprender a sair de casa em segurança para preservar a saúde de todos.

Por outro lado, aprendemos a olhar mais para nós mesmos, a cuidar da nossa saúde e das pessoas à nossa volta. Aprendemos principalmente que o maior gesto de amor que se pode ter é cuidar mais de si, para depois poder cuidar dos outros.

Autocuidado

Uma das palavras em alta no ano de 2020 foi “autocuidado”. E não só em relação à pandemia ou ao modo como evitar a contaminação pelo coronavírus.

autocuidado

Mas principalmente autocuidado pela procura do relaxamento e do bem-estar para passar o tempo do isolamento da melhor forma possível. 

Neste ano, voltamos a fazer coisas manuais, aprendemos a estudar a distância, a ver shows no sofá da sala, a passar mais tempo com os filhos e familiares próximos. 

Igualmente, aprendemos a olhar mais para nós mesmos, criar rotinas de autocuidado,  fazer exercícios em casa e cuidar do corpo e da mente. 

Mas se você não conseguiu se cuidar como gostaria, nós separamos algumas formas de autocuidado para que você comece hoje mesmo a praticar.

8 formas de praticar o autocuidado

Autocuidado significa olhar para si e buscar maneiras de melhorar a saúde física e mental.

8 dicas de autocuidado

Por isso, separamos algumas dicas que você pode seguir no seu dia a dia para estar bem consigo.

1 – Alimente-se bem

Essa talvez seja a dica mais importante, pois uma alimentação balanceada deixa o nosso corpo mais forte, mais resistente e mais preparado para enfrentar os probleminhas que surgem no dia a dia.

2 – Faça uma atividade física regularmente

O exercício físico não só mantém o corpo em forma, mas ajuda a equilibrar as emoções, diminuindo a ansiedade.

3 – Reserve um momento só para você

Crie o hábito de reservar um tempinho do seu dia para cuidar de você. Pode ser um banho bem relaxante, tirar uns minutos para cuidar da pele, passar um creme, fazer uma automassagem, enfim fazer o que realmente proporciona prazer a você.

4 – Faça uma lista dos seus objetivos

Listar o que você deseja ter ou fazer ajuda a criar foco e estar mais conectado com o que realmente importa para você. De vez em quando, reveja essa lista e crie metas para atingir seus objetivos. 

5 – Encontre um hobby

Fazer algo que realmente proporcione prazer é muito importante para aliviar o estresse do dia a dia. Alivia a tensão e resulta numa ótima sensação de bem-estar.

6 – Fale com alguém

converse com alguém

Quando você perceber que algo está incomodando, não guarde isso. Converse com alguém, pois muitas vezes o problema é bem menor do que criamos na nossa cabeça. 

7 – Ajude alguém

Auxiliar alguém que está passando por alguma dificuldade beneficia não só a outra pessoa como também você. Esse gesto gera um sentimento muito bom que alivia o estresse e traz uma sensação gostosa de bem-estar.

8 – Tome água

Água purifica! Ela ajuda a eliminar do nosso corpo resíduos que fazem mal à saúde, e também melhora a circulação e a aparência da pele.

O ano de 2020 está no fim, e ele nos deixou várias lições e motivos para repensar nossos hábitos e crenças. Conte para a gente nos comentários como foi 2020 para você e qual lição este ano deixou?

Queda de cabelo: por que os cabelos caem e como evitar

A queda de cabelo é um problema que afeta e preocupa grande parte da população mundial e como resultado pode ter um impacto importante na autoestima e na personalidade das pessoas.

E você? Algum dia já se preocupou ao perceber a quantidade de fios de cabelo que encontra no chão da sua casa?

queda excessiva de cabelo

Pois saiba que isso é mais comum do que se imagina.

A Redação Hora divulgou um dado bem expressivo sobre a queda de cabelo. Segundo a reportagem, o problema atinge ao menos 25% das brasileiras com idade entre 35 e 40 anos, e o percentual sobe para 50% a partir da quarta década de vida. 

Por outro lado, os homens, segundo a Associação Brasileira de Cirurgia de Restauração Capilar, estima-se que mais de 25 milhões de brasileiros do sexo masculino sofram de algum grau de calvície. A primeira mudança neles é geralmente a queda do cabelo nas áreas temporais, que ocorre em cerca de 96% dos homens brancos maduros, incluindo aqueles sem tendência à calvície.

Por que os cabelos caem

A perda de cabelos é um processo natural do ciclo de crescimento dos fios. Diariamente perdemos cerca de 80 a 120 fios de cabelo, e isso é normal. Por outro lado, quando esse número começa a se acentuar, passamos a ter o que se configura como queda de cabelos.

Acima de tudo, para tratar e prevenir esse problema, é importante entender como funciona o ciclo de crescimento dos fios.

Fases de crescimento dos fios

fase de crescimento
Fases do crescimento dos fios de cabelo. Fase anágena, catágena e telógena.

O crescimento dos fios do cabelo divide-se em 3 fases:

1 – Fase anágena: quando o cabelo é efetivamente produzido, e o fio está em crescimento. Tem duração de 2 a 6 anos, e aproximadamente 90% dos cabelos do couro cabeludo encontram-se nesta fase.

2 – Fase catágena: é uma fase curta, que dura de 2 a 4 semanas, e de transição. Os fios param de crescer, e o folículo que produz o cabelo se contrai em direção à superfície. 

3 – Fase telógena: é caracterizada pelo repouso do folículo, sem qualquer atividade. Esta fase dura de 2 a 4 meses e, à medida que o fio entra na fase telógena, novas células vão começando a se dividir, formando um novo fio. Posteriormente, o fio que estava em repouso cai, dando espaço para o desenvolvimento do novo. 

Quando acontecem alterações neste ciclo, começa-se a perceber a queda acentuada dos fios. 

A perda anormal de cabelos, ou seja, aproximadamente mais de 100 fios por dia, pode ser percebida através de: 

  • Queda ao passar as mãos pelos cabelos
  • Perda excessiva de fios ao lavar e ao pentear
  • Observação de vários fios de cabelos soltos sobre o travesseiro ao acordar
  • Perda de volume dos cabelos
  • Quando conseguir observar facilmente grandes áreas do couro cabeludo

Ou seja, perder cabelo é um processo natural do ciclo de vida dos fios. Mas, quando essa queda é maior do que aproximadamente 100 fios, trata-se de um alerta que indica que algum fator está alterando o crescimento normal dos cabelos. 

Causas da queda de cabelo 

Muitos fatores podem interferir no crescimento dos fios, incluindo por exemplo, medicamentos, radioterapia, quimioterapia, exposição a substâncias químicas, fatores nutricionais e hormonais, doenças da tireoide, doença de pele generalizada ou local, e também estresse.

Dois desses fatores estão muito relacionados ao estilo de vida, que são a dieta alimentar e o estresse.

Primeiramente, uma dieta não balanceada causa deficiência de proteínas, aminoácidos e vitaminas, o que prejudica a nutrição do folículo capilar e enfraquece o fio, levando à queda precoce. 

O especialista Dr. Francisco Le Voci explica que o estresse, quer seja físico ou emocional, pode acarretar o que chamamos de eflúvio telógeno. O estresse pode provocar uma aceleração desse ciclo de crescimento dos fios e, com isso, muitos fios caem antes da hora, ou seja, o ciclo torna-se mais acelerado. A queda diária normal, que varia entre 80 a 120 fios por dia, pode se acentuar, chegando a até 600 fios por dia.

A queda anormal também pode estar ligada a fatores genéticos que desencadeiam a calvície tanto em homens quanto em mulheres

4 mitos sobre a queda de cabelo

1- Cortar o cabelo evita a queda

Mito, pois o corte retira parte da extensão do fio e não altera o ciclo de crescimento. Por outro lado, o corte frequente deixa o cabelo mais volumoso e com mais viço. Pois retira as pontas que são prejudicadas pelo sol, mar e tratamento químicos.

2 – Lavar os cabelos frequentemente aumenta a queda

Por mais que pareça aumentar a queda, isso é um mito. O processo de lavagem faz com que os cabelos que já caíram e estão presos nos outros fios se soltem, dando a impressão de que a lavagem aumenta a queda. 

3 – A amamentação aumenta a queda dos cabelos

Isso é um mito, pois na verdade trata-se de um período normal de adaptação do corpo. O que acontece é que durante a gestação os cabelos crescem mais devido à influência dos hormônios. Posteriormente, após o parto, as taxas hormonais vão voltando à normalidade, e um número maior de folículos entra na fase telógena, fazendo com que os fios caiam com mais volume para serem substituídos por novos. 

4 – O excesso de testosterona nos homens causa a queda do cabelo

Mito, pois a causa da queda dos fios, e principalmente a calvície, não se dá pelo aumento da testosterona, e sim pelo aumento da 5 alfa-redutase, que é um fator geneticamente determinado. Mas o mais importante, no caso de homens com tendência à calvície é tratar o couro cabeludo para retardar esse processo. 

Como tratar e evitar a queda de cabelo

Quando se percebe que os cabelos estão caindo mais do que o normal, é sempre bom investigar as causas. Para isso, procure um especialista. 

Reveja também seus hábitos. Você tem se alimentado adequadamente?

Como estão seu emocional e seu estado físico? Sua rotina é muito estressante? Se sim, repense e redefina seus objetivos 😉

Mas calma, também existem soluções para evitar a queda dos fios e estimular o crescimento de novos, mais fortes e saudáveis. 

Hoje os dermocosméticos são muito eficientes e aliados importantes nessa missão. O Tônico Nano Hair, por exemplo, é um blend de vitaminas, minerais e aminoácidos, para repor de forma tópica esses nutrientes diretamente onde nasce o fio. Isso é possível graças à tecnologia nanoencapsulada dos ingredientes. 

Além do tônico, a Extratos da Terra também possui uma linha completa para redução da queda e estímulo do crescimento dos fios de cabelo, barba e sobrancelhas.

Se você está com muita queda de cabelo, investigue as causas. Em conclusão, prevenir e tratar o problema no início sempre é a melhor indicação. 

Mas se ainda tiver dúvidas, deixe nos comentários a sua pergunta que temos uma equipe pronta para te ajudar 😉

Cuidados com a pele: 5 mitos que você deve saber

Os cuidados com a pele sempre geram muitas dúvidas. Em meio à procura pela melhor forma de nos cuidarmos, muitas vezes nos debatemos com vários mitos que ficaram difundidos como verdade. 

Hoje vamos esclarecer 5 desses mitos que foram difundidos ao longo dos anos 😉

1 – Pele oleosa não precisa de hidratação

O primeiro mito é sobre os cuidados com a pele oleosa, pois muito se fala que essa pele não deve ser hidratada.

Vale lembrar que a hidratação é importante para qualquer tipo de pele.

Hidratação é diferente de oleosidade. Ao contrário do que muitos pensam, uma pele hidratada consegue controlar a oleosidade por mais tempo. Já uma pele desidratada tem a tendência de ficar ainda mais oleosa.

Você deve estar pensando: como assim?

Vamos entender um pouquinho sobre a função da pele para que tudo fique mais claro.

Vamos entender um pouquinho sobre a função da pele para que tudo fique mais claro.

Uma das funções mais importantes da pele é a proteção contra agentes do meio externo. Ela é uma barreira muito inteligente que impede que a água que está no nosso corpo seja evaporada. Por outro lado, impede que água e outros agentes aos quais estamos expostos no dia a dia penetrem no nosso corpo.

Essa barreira é formada basicamente por um manto hidrolipídico, ou seja, composto por substâncias oleosas e aquosas. 

Dessa forma, quando a pele está desidratada, essa barreira de proteção fica mais fragilizada e prejudicada, aumentando a evaporação da água das células e também deixando a pele suscetível a outros problemas estéticos. Nosso corpo então começa a trabalhar para voltar ao seu equilíbrio, e substâncias oleosas são produzidas, o que aumenta a sensação de oleosidade na pele.

Com a urgência de se livrar dessa sensação de sujidade, o que normalmente as pessoas fazem é lavar muitas vezes o rosto. Além de usar em excesso produtos que retiram a oleosidade, como produtos adstringentes, passando a evitar produtos hidratantes. Ou seja, o equilíbrio das substâncias aquosas e oleosas não é reconstruído, o que vira um ciclo vicioso. 

Portanto, pele oleosa deve ser hidratada sim! Mas é muito importante usar produtos específicos para esse tipo de pele, estimulando assim o equilíbrio e o controle da oleosidade.

2 – Acne acontece somente com adolescentes

Mito! a acne acontece em peles maduras e adultas sim, principalmente em mulheres. 

Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, em parceria com o laboratório Theraskin, mostrou que a acne é o maior problema que leva as mulheres ao consultório médico, sendo que a média de idade dos participantes da pesquisa era de 42,5 anos, fase na qual a preocupação deveria ser outra, como a prevenção do envelhecimento precoce.

Por que isso acontece?

A resposta é simples: além da oleosidade da pele, uma das principais causas da acne é o fator hormonal. Se a gente pensar que as mulheres ao longo da vida passam por constantes mudanças nos níveis hormonais, fica fácil compreender por que a acne não abandona as mulheres após a adolescência.

Isso acontece principalmente no mundo atual e agitado em que vivemos. O que eleva o nível de estresse, que por sua vez altera os níveis hormonais. 

Diferença entre acne adolescente e adulta

O que difere a acne adolescente da adulta é o grau de gravidade. A acne adulta normalmente é considerada leve, com a presença de cravos brancos e pretos, podendo chegar a casos de lesões inflamatórias. Já na adolescência pode chegar a casos mais graves, com processo inflamatório mais agressivo e que pode gerar cicatrizes e marcas escuras com maior intensidade do que a acne adulta. 

Outra diferença é o local onde as lesões de acne comumente aparecem.

Na pele madura, as principais regiões com acne são em volta da boca, no queixo e no contorno do rosto e pescoço.

Na adolescência, não há uma região específica, podendo a acne estar distribuída por toda a face e também nas costas, como é o caso dos homens. 

Os cuidados com a pele acneica, independentemente da idade, inclui usar produtos antiacne que controlem as lesões e previnam o aparecimento de novas. Para isso, recomenda-se usar produtos que controlem a oleosidade, equilibrem a microbiota, controle a inflamação, limpem e detoxifiquem a pele das sujidades e da poluição e que tenham ação antioxidante, mantendo a pele fortalecida e saudável. 

Temos outro conteúdo que aborda o tratamento da acne no link.

3 – Cuidados com a pele com manchas deve ser somente no inverno

Outro mito muito comum sobre os cuidados com a pele é que o tratamento de manchas deve ser realizado somente na estação mais fria do ano. Essa crença vem do passado, quando não se tinha tecnologia dermocosmética tão avançada como atualmente. 

Antigamente, os tratamentos para manchas de peles eram na sua maioria à base de ácidos, que não podem ser utilizados quando se tem a exposição à radiação do sol, como acontece no verão.

Com o avanço da ciência e das pesquisas, surgiram novos recursos de tratamento e ativos que não são fotossensíveis. Ou seja, a exposição do sol não prejudica o tratamento. 

Aliás, os novos estudos têm cada vez mais demonstrado que quem tem problemas com manchas e principalmente o melasma, deve usar produtos controladores da formação do pigmento, que dá cor à pele, de forma constante, o ano inteiro e todos os dias.

O sol é o principal causador das manchas. Por isso a proteção solar é necessária, assim como os produtos para o clareamento, que devem ser aplicados diariamente. Só assim se tem o controle efetivo das manchas que tanto incomodam.

Portanto, trate suas manchas o ano inteiro, mas procure por produtos seguros, registrados, testados e com resultados comprovados.

4 – Quanto maior a porcentagem de vitamina C, melhor. 

Organic bio cosmetics with vitamin C. The concept of Minimalism Flat lay.

Mito! A vitamina C é dos produtos mais conhecidos atualmente para os cuidados com a pele de forma geral. Pois é um ativo multifuncional que traz benefícios incríveis. 

Também é um produto do qual se encontram muitas opções na hora da compra. Nesse momento, surgem muitas publicações com as porcentagens de vitamina C que compõem o produto. O que se imagina em seguida em uma análise rápida é que quanto maior a porcentagem, melhor e mais eficiente é o produto.

Certo? 

Errado!! Vou apontar aqui 3 pontos para você não levar em consideração apenas a porcentagens de vitamina C no produto:

Considere a sinergia dos ativos

O primeiro ponto a se avaliar aqui é que a porcentagem nem sempre garante o melhor resultado. Muitas vezes, pode-se ter uma porcentagem alta de um determinado ativo, mas ele sozinho não consegue resolver todos os fatores envolvidos em uma determinada necessidade da pele.

A pele não é igual para todo mundo, temos vários fatores do nosso dia a dia que interferem na qualidade e na saúde dela. Dessa forma, por mais que se tenha um ativo multifuncional, nem sempre ele vai conseguir agir em todas as frentes que precisamos para obter um rejuvenescimento ou um clareamento com resultados satisfatórios, por exemplo.

Só para dimensionar o tamanho da complexidade da questão, as manchas têm mais de 23 fatores conhecidos na sua formação. Assim como há inúmeras pequenas causas que levam ao envelhecimento da pele. 

O que eu quero dizer com tudo isso? Que não adianta ter uma porcentagem alta de um determinado ativo se a formulação do produto não conseguir resolver o máximo de fatores envolvidos no problema. 

Assim, é mais importante avaliar a formulação em seu conjunto. A sinergia dos ativos da formulação e, principalmente, se o produto tem teste de eficácia que comprove os resultados prometidos. 

Forma de apresentação da vitamina C

O segundo ponto a ser considerado, especificamente sobre a vitamina C, é a sua alta taxa de oxidação. Ou seja, se a vitamina C estiver em sua forma pura, ela tem altas chances de ser oxidada ou de ter a sua função diminuída antes mesmo de entrar em contato com a pele, na própria embalagem do produto.

Este é outro motivo para não se considerar somente a porcentagem do ativo, e sim se a vitamina C tem tecnologia como a nanoencapsulação para preservar a sua funcionalidade.

Embalagem

E um terceiro ponto muito importante a se avaliar em produtos que contenham vitamina C é a embalagem. Como ela é muito fácil de ser oxidada, caso o produto entre em contato com o oxigênio, a vitamina C pode perder parte de seus benefícios. 

E há uma forma bem fácil de visualizar esse acontecimento. Se ao usar a sua vitamina C você perceber ela mais amarelada do que estava quando foi aberta pela primeira vez, é bem possível que parte dela já tenha sido perdida. Por isso, embalagens do tipo airless são muito importantes em produtos com vitamina C. Pois impedem esse contato do produto com o ar atmosférico, garantindo qualidade até a última gota. 

Resumidamente, o meu conselho é: não considere a porcentagem de vitamina C no produto como o fator de maior importância. Procure ver a sinergia de ativos que compõem a fórmula, se a vitamina C é nanoencapsulada e se a embalagem tem contato com o ar. Ah, e claro, observe se o produto com vitamina C possui teste de eficácia que comprove os resultados que ele promete 😉

5- Cremes anti-idade não funcionam

Último mito a ser desmascarado hoje é que os cremes anti-idade não funcionam.

Muitas pessoas acreditam que só cirurgias, botox, preenchimentos, entre outros métodos mais invasivos, são a solução para peles envelhecidas. Isso não é verdade. 

Hoje possuímos a tecnologia a nosso favor, temos ativos nanoencapsulados, vetorizados e biocompatíveis com a pele. Com funções de reverter os sinais, prevenir e preservar as nossas células para que tenham uma vida mais longa. Muitos ativos conseguem estimular fatores de crescimento, preservar a hidratação, mantendo o volume facial e estimular a produção de novas fibras de colágeno e elastina, que dão sustentação à pele. São inúmeros os fatores a nosso favor.

Claro que os dermocosméticos têm os seus limites de atuação. Eles conseguem sim melhorar a qualidade da pele e deixar a aparência mais jovem, mas prevenir sempre é o melhor remédio. 

Portanto, quanto mais cedo se tiver a preocupação em manter a pele saudável usando os produtos anti-idade adequados ao seu tipo de pele, tendo um estilo de vida e alimentação saudáveis. Bem mais tarde serão necessárias intervenções cirúrgicas ou minimamente invasivas para reverter os sinais do tempo. 

Cuide-se, mantenha uma rotina diária de cuidados com a pele e dessa forma as rugas vão demorar muito mais para te incomodar. 

Cuidados com a pele: uma rotina que traz a beleza que faz bem

Criar o hábito de se cuidar é uma forma de fazer o bem para si mesma. É um tempo que todos deveriam reservar para si. 

São alguns minutos diários que fazem muita diferença na autoestima e na qualidade da pele. Isso não vai se refletir somente hoje, e sim por muitos anos. 

Estamos expostos diariamente a muitos fatores que alteram o equilíbrio da pele que nos protege, como a poluição, a radiação solar, a luz de dispositivos móveis, entre outros.

Por isso, faça a higienização adequada e use os produtos indicados para o seu tipo de pele. Use protetor solar, beba bastante água e tenha uma alimentação saudável. Esses são os passos básicos para se manter saudável e de bem consigo mesmo e com a sua idade. 

Cuidar de si mesma é o que compõe a beleza que nos faz bem!

Confira também o post: Três passos diários para ter a pele bonita todos os dias

Lucimara da Cunha 
Cosmetóloga e engenheira química
Analista de marketing e produtos da Extratos da Terra

O que são prebióticos e como eles podem trazer benefícios para a pele?

Prebióticos na composição de dermocosméticos é cada vez mais comum, mas você sabe o que são e qual a sua importância para a pele?

De forma resumida, os prebióticos promovem um ambiente favorável ao desenvolvimento de micro-organismos responsáveis pela proteção da pele e que fazem bem ao nosso corpo. Com o aumento desses micro-organismos, ocorre a diminuição das taxas de micro-organismos considerados prejudiciais à pele e que podem provocar o processo inflamatório e o aparecimento de acne, por exemplo.

A pele humana é rica em micro-organismos essenciais para a saúde. Para se ter noção do que isso significa, um centímetro quadrado de pele pode conter até um bilhão deles. Esses micro-organismos são chamados de microbioma cutâneo. A maior parte já é adquirida no nascimento e está diretamente relacionada à saúde do corpo em sua totalidade. Esses microrganismos são divididos em dois grupos, os benéficos e os patogênicos. Os patogênicos são aqueles que podem provocar algum tipo de reação não desejada na pele, como acne, alergias ou outras doenças referentes à derme. Já os benéficos são aqueles que ajudam a proteger a barreira de proteção da pele e compõem o principal fator de proteção da imunidade, ficando na camada cutânea mais superficial. Quando ocorre algum tipo de desequilíbrio dessa microbiota, como os provocados pela poluição do ar, má alimentação, sabonetes muito agressivos que ressecam a pele, entre outros, algumas bactérias podem se comportar de forma diferente do que o normal. Muitas delas vivem normalmente na pele sem causar nenhum problema, porém, quando ocorre esse desequilíbrio do microbioma, algumas bactérias podem causar irritações e inflamações. Um exemplo é o que acontece com a bactéria da acne, que está presente na pele íntegra, mas, quando o quadro de acne está instalado, essa bactéria passa a ser mais potente e patogênica, provocando o processo de inflamação.

Um grande erro que pessoas com pele oleosa cometem é lavar várias vezes o rosto durante o dia, o que deixa a barreira de proteção prejudicada e pode causar ou piorar o quadro de acne ou irritação cutânea. Não é preciso lavar a pele facial mais do que duas vezes ao dia e é importante usar hidratantes e sabonetes indicados ao seu tipo de pele, além de ser indicado aplicar e reaplicar diariamente o filtro solar. Para ajudar nesse controle da barreira cutânea é que surgiram os prebióticos, que, como mencionado anteriormente, favorecem o desenvolvimento de bactérias boas que protegem o organismo e diminuem o número de bactérias prejudiciais à pele.

Dermocosmético com prebióticos

O Sérum Multissolução da linha Dermosoft Antiacne foi desenvolvido para controlar o processo inflamatório e o excesso de oleosidade, bem como para hidratar e fortalecer a barreira de proteção da pele. Esse sérum é um exemplo de produto que utiliza o benefício dos prebióticos graças ao Bioecolia®, promovendo o desenvolvimento de micro-organismos bons e equilibrando o crescimento das bactérias que agravam a formação da acne. Além disso, esse prebiótico estimula os peptídeos antimicrobianos essenciais que auxiliam na manutenção do equilíbrio microbiano.

O Sérum Multissolução é ideal para peles acneicas, pois, além de controlar as reações indesejadas que essa pele apresenta, como o vermelhidão, a inflamação e o excesso de oleosidade, também hidrata, restabelecendo o equilíbrio da barreira cutânea e do microbioma, que, como vimos, é muito importante para manter a saúde da pele e do organismo em seu conjunto.   

Dessa forma, manter a barreira de proteção da pele é fundamental para evitar o desequilíbrio do microbioma cutâneo e reações alérgicas, irritações e inflamações como a acne.  Um das principais medidas que podemos tomar para garantir a proteção da pele é sempre mantê-la hidratada, independentemente se sua pele é oleosa ou seca. A hidratação é fundamental para manter a saúde da pele, manter o pH ideal e fortalecer o sistema imunológico.

Se você ficou interessada em entender um pouco mais sobre o microbioma cutâneo, tem uma matéria inteirinha falando sobre isso na Revista de Negócios da Indústria Estética, edição temática sobre Mibrobioma cutâneo.  

Entendendo a gordura localizada

A gordura localizada é o resultado do acúmulo de energia que não foi gasta pelo corpo e que é armazenada em forma de gordura em algumas regiões.

Em primeiro lugar, essa energia vem da ingestão de alimentos como carboidratos, proteínas e gorduras consumidas em uma quantidade maior do que as necessidades do corpo. Em consequência, o organismo entende que precisa guardar uma reserva para quando, por algum motivo, você deixar de se alimentar. Esse processo é um instinto natural de sobrevivência.

Por isso, constantemente o excesso de energia se transforma em células de gordura, que ficam armazenadas no tecido adiposo. O acúmulo dessa gordura em determinados locais dá origem à gordura localizada, que acaba incomodando e afetando a autoestima. 

Imagem representativa da gordura localizada
Onde os pontos da imagem representam:
1- O tecido adiposo
2 – A célula de gordura (adipócito)

Por outro lado, alguns fatores externos também favorecem a formação da gordura localizada, tais como:

  • Má postura, que deforma o contorno corporal
  • Excesso de peso devido ao alto consumo de calorias
  • Falta de exercícios físicos, que faz com que as calorias em excesso não sejam gastas. 

Por que a gordura localizada se acumula em regiões específicas?

As regiões de acúmulo de gordura se diferem conforme o sexo: 

regiões de acumulo de gordura localizada no homens e na mulher
  • Nas mulheres, ocorre principalmente no quadril e nas coxas
  • Nos homens, acontece na região da barriga

Essa diferença de localização da gordura localizada em homens e mulheres acontece principalmente pelos hormônios que favorecem o armazenamento de gordura e que são diferentes em cada um desses grupos.

Por exemplo, nos homens o principal hormônio responsável pelo armazenamento de gordura é o cortisol. Ele está em maior quantidade nesse grupo do que nas mulheres. Esse hormônio é como uma chave que abre as células adiposas do abdômen para que a gordura entre. Em consequência, tem-se um maior acúmulo nessa região. 

O estrogênio, hormônio predominante nas mulheres, tem a chave para abrir as células de gordura e direcionar o armazenamento para coxas e quadril. Além da gordura localizada que se apresenta nessa região, as mulheres sofrem com a formação da celulite, consequência do aumento do tamanho das células de gordura. 

Além disso, essas diferenças de locais de armazenamento de gordura também estão relacionadas às funções fisiológicas e até naturais dos homens e das mulheres. Isso porque o tecido adiposo (que armazena a gordura), além de ter a função de reserva energética,  protege órgãos vitais, fazendo a proteção mecânica em regiões como a abdominal, e serve como um isolante térmico do organismo. Por isso, esses órgãos ficam predominantemente no abdômen. Já nas mulheres, as coxas e o quadril são regiões de suporte importante para a reprodução e a gravidez.

Gordura localizada: como ocorre?

Bom, já sabemos o que é a gordura localizada e também por que ela fica em regiões diferentes nos homens e nas mulheres. Agora vamos entender como as calorias se transformam em gordura.

Primeiramente, para que as calorias se transformem em uma molécula de gordura, é necessária a interação de dois fatores principais: as enzimas e os hormônios. 

Como isso acontece?

Primeiramente, é preciso que as proteínas, os carboidratos ou os lipídeos excedentes da dieta se transformem em moléculas de glicose, que é a energia usada pelo corpo. Depois, a glicose transforma- em triglicérides, que são então armazenadas nas células de gordura e constituem a nossa reserva energética. 

Esse processo de conversão de glicose para triglicerídeos ocorre com a ajuda de uma enzima chamada de fosfodiesterase. Veja a sequência desse processo na imagem abaixo

Processo de conversão da glicose em gordura.
Processo de conversão da glicose em gordura.

Ou seja, a glicose em excesso “encontra-se” com a enzima fosfodiesterase, que se transforma em triglicerídeos. Os hormônios então direcionam os triglicerídeos para as células de gordura. O acúmulo consequente gera a gordura localizada. 

Como perder a gordura localizada?

Para diminuir a gordura localizada, em primeiro lugar é necessário o consumo de menos calorias do que o corpo precisa, ou então um maior gasto do que o consumido pela alimentação. Dessa forma, o corpo vai precisar usar aquela reserva energética que está nas células de gordura. 

Para usar essa gordura , é preciso fazer o caminho inverso, transformando os triglicerídeos em fonte de energia, que é chamada ATP.

Para que ocorra esse processo, os triglicerídeos se “encontram” com outra enzima chamada HS Lipase, gerando com isso ácido graxo e glicerol (lipólise). Na sequência, o ácido graxo e o glicerol vão para a corrente sanguínea, ficando disponível para as células poderem produzir o ATP ou a energia celular. 

A concentração de HS Lipase é estimulada por outra molécula, a AMPc, que está constantemente sendo produzida e inativada conforme as necessidades do corpo. 

Em resumo, quando o corpo precisa de energia e não tem uma fonte disponível, os triglicerídeos que estão nas células de gordura, transformam-se em ácidos graxos e glicerol e vão para na corrente sanguínea. Essas duas moléculas então serão usadas para fornecer a energia necessária. 

Como agem os dermocosméticos redutores?

Como vimos, o corpo usa as fontes de energia que estão armazenadas nas células de gordura. Porém sempre vai buscar primeiro a gordura de mais fácil acesso, que normalmente não é aquela das regiões como culote, abdômen, coxas e braços. Como mencionado, essas reservas são também estratégicas para a proteção do organismo. 

Nesse sentido, os dermocosméticos entram para dizer ao corpo que a fonte de energia de que ele precisa é aquela do local de aplicação do produto. 

E como eles fazem isso?

Bom, cada produto tem a sua forma de ação, mas de modo geral, os produtos redutores estimulam a quebra das células de gordura para se transformar em ácido graxo e glicerol, deixando essas moléculas preparadas para serem usadas como energia. Assim, quando o corpo precisa, vai usar essa energia que está ali de fácil acesso. 

Antes (imagem a esquerda) e depois (imagem a direita)

Por outro lado, se a sua dieta energética é maior do que o gasto, essas moléculas voltam a se transformar em células de gordura. Em outras palavras, para perder medidas é necessário ter um consumo de calorias menor do que o gasto diário, ou um aumento energético com atividades físicas para que o corpo use essa energia sobrando e não ocorra rearmazenamento. 

Portanto, os dermocosméticos são os facilitadores do consumo da energia armazenada no local de aplicação do produto. Assim, o corpo vai usar aquela reserva energética específica de difícil remoção sozinha, e não de uma outra região. 

Por fim, fica a reflexão: perder medidas é uma conta simples de reduzir as calorias ingeridas para aumentar a queima da gordura armazenada.

Por outro lado, o processo para que isso aconteça é complexo e envolve muitos outros fatores como hormônios, enzimas e diversos mensageiros químicos que não abordamos aqui e que ficam para um próximo post 😉

Agora nos conte: o que você achou do conteúdo? Você já sabia como a gordura localizada se forma no corpo? 

O que é um nutricosmético? Para que serve? Porque usar?

Nutricosmético: saiba mais sobre a famosa cápsula da beleza!

São suplementos orais que possuem em sua fórmula nutrientes e antioxidantes direcionados a cuidar da pele, cabelos e das unhas. Também conhecidos como “suplementos de beleza”, os nutricosméticos não aparecem somente em forma de cápsulas, mas também podem ser: chás, sucos, sopas e até chocolates!

A ideia dos nutricosméticos é auxiliar nos cuidados com a pele e os cabelos, de maneira a estimular a produção de colágeno, prevenir e tratar processos de envelhecimento, prevenir danos solares na pele, auxiliar no controle de acne, entre vários outros benefícios.

Isso não quer dizer que ele vai fazer milagre! Um nutricosmético sempre deve estar combinado com outros dois fatores: hábitos saudáveis  e o uso de produtos tópicos. Assim temos o famoso conceito de tratamento de dentro para fora, ou também conhecido como tratamento “In & Out”.

Não existe idade certa para começar a consumir nutricosméticos, isso vai depender muito dos ingredientes usados na fórmula e da necessidade de cada pessoa. Vale lembrar que, caso você esteja fazendo acompanhamento, é bom consultar seu médico ou nutricionista antes de inserir o nutricosmético na sua rotina. Eles normalmente também têm poucas contraindicações e é só verificar o que está escrito na embalagem do produto.

Muitas pessoas perguntam:  qual a diferença entre nutracêuticos e nutricosméticos? Aqui no Brasil ainda não existe uma regulamentação que defina o que é cada nomenclatura, mas comumente se utiliza o termo nutracêutico para os suplementos que estão relacionados ao cuidado e à prevenção de doenças, e o termo nutricosmético para os suplementos direcionados aos cuidados de saúde e beleza da pele, do cabelo e das unhas.

Sempre buscando inovar e estar alinhados com as necessidades do mercado trouxemos  um nutricosmético voltado para a prevenção e o cuidado global de peles acneicas: o Dermosoft Antiacne Acne-In.

Esse produto é indicado para ser utilizado em conjunto com os produtos tópicos da linha Dermosoft Antiacne, apresentando ótimos e rápidos resultados no tratamento da acne. Há pouco tempo falamos de toda a linha para uso em casa aqui no blog, dá uma conferida!

O Acne-In é um nutricosmético que reúne uma combinação de ativos que atuam de dentro para fora, de forma completa, nos mecanismos que levam ao desenvolvimento e ao agravamento da acne. Contém em sua composição café verde, zinco, silício orgânico com peptídeos de colágeno marinho, selênio vitamina E, caviar integral e vitamina B3. Supercompleto!E ainda protege contra o envelhecimento da pele, auxiliando na absorção de colágeno, melhorando a firmeza e reduzindo os sinais da idade, tais como enrugamento e flacidez.

Conheça mais nossa linha de produtos, confere na loja virtual!

Comprar no siteacne profissional

 

Pele na menopausa: o que acontece e como melhorar a pele do rosto e do corpo

A pele na menopausa passa por algumas mudanças.

ciclo hormonal

Assim como já aconteceu em outras fases da vida da mulher, graças às alterações hormonais. 

Lembra-se da adolescência, época em que o aumento da oleosidade e o aparecimento das acnes eram bem comuns? Naquela época, essas alterações resultavam  do aumento da produção de hormônios. 

Diferentemente da juventude, na menopausa ocorre a diminuição gradativa dos hormônios estrógeno e progesterona, diminuindo também a produção de fibras de elastina e colágeno.

variação hormonal na menopausa

Como resultado, nota-se o aumento da flacidez e das rugas. Além disso, a pele fica mais fina, frágil e ressecada.

Somadas a essas alterações hormonais, outras reações normais decorrentes do envelhecimento acontecem, já que as células estão mais cansadas do que quando eram mais jovens. Com isso, as funções normais das células diminuem, e começam a aparecer os sinais de envelhecimento da pele. 

O que acontece com a pele na menopausa?

Após a menopausa, o colágeno na pele passa por uma diminuição significativa, e por isso os sinais de envelhecimento começam a ficar mais evidentes. Analogamente outras alterações da pele na menopausa são:

  • Desidratação e ressecamento de toda a pele do corpo, o que pode até causar descamação
  • Presença de lesões senis, ou seja, aparecimento de manchas acastanhadas na pele, geralmente em regiões mais expostas ao sol como, por exemplo, mãos, braços, rosto, pescoço e colo. 
  • Afinamento e diminuição da elasticidade da pele
  • Nos antebraços, o afinamento da pele pode aparecer associado a manchas roxas e até feridas
  • Presença de telangiectasias, que são aqueles vasos muito finos que aparecem na pele.
  • Na fase inicial da menopausa, o rosto pode ficar mais oleoso e sujeito à acne devido às variações hormonais e às adaptações do corpo. 
  • Pelos grossos sob o queixo e nas laterais da face também são uma característica da menopausa. 
mulher falando com o médico

Muitas mulheres optam pela reposição hormonal como tratamento, mas é preciso conversar com o médico especialista.

Por outro lado, o tratamento da pele pode ser discutido com um profissional da estética capacitado, o qual tem a habilidade de avaliar caso a caso e recomendar os melhores cosméticos para o tratamento. 

O que fazer para melhorar a pele na menopausa?

Primeiramente, o uso de cosméticos diários e o tratamento com um profissional especialista podem auxiliar e amenizar os sintomas citados. 

Mas aqui neste post reunimos algumas dicas e cuidados essenciais para você fazer em casa e manter a pele saudável neste período de intensas transformações: 

– Higienização com produtos que possuam ingredientes vegetais e que preservem a barreira da pele, não causando nenhum tipo de agressão.

– Realizar a hidratação de manhã e à noite é fundamental para manter a pele saudável e diminuir os efeitos do envelhecimento. Dessa forma, busque produtos que façam a reposição dos lipídios, colágeno, vitaminas, fator de crescimento e ácido hialurônico, componentes esses que têm a sua produção diminuída com a menopausa.

– Proteja a pele das radiações solares com FPS 30 ou maior, pois o sol é a causa principal do envelhecimento precoce e do aparecimento de manchas na pele. 

Todos esses cuidados são tanto para a pele do rosto como do corpo. Assim, separamos abaixo algumas indicações de produtos com base na área de aplicação que ajudam a amenizar os desconfortos na pele durante a menopausa.

Diminuindo o envelhecimento e o ressecamento do rosto na menopausa

Como mencionamos anteriormente, limpar a pele com produtos mais suaves, hidratar com componentes deficientes da pele e proteger do sol são os 3 passos básicos para manter a pele bonita na menopausa. 

Veja nossa seleção de produtos para rosto:

1. Para limpar a pele

Antes de mais nada, use o Sabonete Dermopurificante pela manhã e à noite: esse sabonete limpa a pele e previne a desidratação e o ressecamento. Indicado para peles normais, sensíveis, ressecadas ou fragilizadas, o sabonete devolve a hidratação natural da pele, deixando-a com a aparência saudável.

2. Suplementação da pele

Para aumentar ainda mais os cuidados com a pele, é muito importante usar o Sérum Vit C.

vitamina C para suplemento da pele na menopausa

Esse sérum possui um blend poderoso de antioxidantes que impedem a formação de radicais livres que aceleram o envelhecimento. Além disso, a vitamina C uniformiza a pele, diminuindo as manchas da idade e deixando a pele mais iluminada. Você pode aplicar a vitamina C depois de limpar a pele. 

3. Hidratação e recuperação da pele

Para deixar a pele linda, sem desconforto com o ressecamento, a nossa indicação é o Creme Anti-idade Reverse. Ideal para peles maduras, o creme hidrata profundamente, revertendo os sinais do envelhecimento e aumentando a elasticidade e a firmeza. Além disso, recupera a barreira de proteção da pele, reduz rugas e linhas de expressão e estimula a produção de colágeno e de ácido hialurônico. A indicação de uso é pela manhã e à noite.

4. Proteção solar

Por fim, um produto indispensável para uma pele saudável. O protetor impede a ação danosa dos raios solares, e sua indicação de uso é logo pela manhã, sendo necessário reaplicar durante o dia. 

Um protetor bem completo é o Tonalizante Clareador, que, além de proteger do sol, ajuda no clareamento das manchas e na redução dos sinais da idade. Além disso, a sua tonalidade universal se adapta aos diferentes tons de pele, deixando bem natural e realçando a sua real beleza.

Diminuindo o ressecamento e a flacidez da pele do corpo na menopausa

Para o corpo, o essencial é a hidratação, a reposição de ômegas, de ácido hialurônico e a reestruturação da pele. 

hidratação para a pele na menopausa

Para regiões como braços e pernas, a melhor opção é o creme hidratante Ômega 7, que fornece de forma adequada componentes lipídicos que a pele não produz mais. Você pode usar e abusar desse creme, que tem um cheiro delicioso.

Para ir um pouco além da hidratação e já tratar também a flacidez, use o Creme Firmante com colágeno, elastina e DMAE. Combine com o Ômega 7, usando pela manhã um e à noite o outro 😉

creme hidratante de mãos

Já em regiões como as mãos, que estão expostas de forma mais direta às alterações climáticas e ao uso de produtos de limpeza como detergentes, o indicado é aplicar o creme de mãos. E para não faltar, a hidratação dos pés ressecados é com o Amolié. 

Gostou deste conteúdo e das dicas? Compartilhe com sua amiga que também está passando por essa fase de mudanças 😉

Calvície feminina: causas e tratamento

A calvície feminina pode se transformar num problema de autoestima muito sério. Já que o cabelo é de fundamental importância para a imagem pessoal, principalmente quando se trata do sexo feminino.  Apesar ser pequena a porcentagem de mulheres que sofrem com a alopecia androgenética, o problema de fato ocorre e é influenciado por ação genética e hormonal, como nos homens.

Mas as mulheres ficam carecas?

Sim, a calvície feminina geralmente se inicia logo após a puberdade, quando os hormônios sexuais começam a ser produzidos. A evolução é lenta.

Primeiramente, ocorre uma rarefação difusa dos cabelos, que se tornam finos e têm o seu tamanho diminuído. Como resultado, ocorre a queda mais frequente, sem o crescimento de um novo fio.

Por outro lado, com a idade avançada, pode ocorrer, inclusive, de uma mulher ficar careca, porém não é algo muito comum.

Tudo pode se agravar se a mulher tiver alguma patologia ligada a fatores hormonais ou endócrinos. Principalmente, após a menopausa, quando  há uma alteração hormonal importante e falta de nutrientes e oligoelementos.

calvície e quada capilar

Por outro lado, não é só os fatores genéticos que podem causar a queda dos fios. Pois as mulheres acumulam funções no seu dia a dia, que as deixam no grupo de maior nível de estresse, que pode causar a queda dos cabelos.

Além disso, as mulheres fazem uso de cosméticos para os cabelos, muitas vezes não adequados, e ainda de muita química, que prejudica os fios, deixando-os mais fracos.

Um exemplo das alterações no fio por procedimentos estéticos é a temperatura alcançada pelas pranchas. Essa temperatura acaba formando bolhas ao longo do fio, proporcionando a quebra do cabelo e deixando-o frágil, enfim, um transtorno!

Falhas nas sobrancelhas

De forma similar ao que acontece com o cabelo, as sobrancelhas também possuem um papel fundamental na autoimagem da mulher.

Nem todas têm uma sobrancelha volumosa, capaz de seguir um design mais moderno. Algumas até já tiveram, mas, seguindo padrões dos anos 70, arrancaram tudo, já que a moda naquele momento era apenas ter uma fileira de pelos.

Mas como o crescimento das sobrancelhas difere do crescimento do cabelo, algumas mulheres não conseguem mais ter um volume desejado para um desenho adequado de suas sobrancelhas.

Tratamento da calvície feminina e falha das sobrancelhas

No tratamento para a calvície feminina, em muitos casos é preciso interferência médica e suplementações vitamínicas. Porém, o uso de shampoo e outros produtos para o cuidado do couro cabeludo com ingredientes voltados ao tratamento da queda é fundamental.

A linha Terapia Capilar da Extratos da Terra é uma excelente opção para o complemento dos tratamentos capilares.

Além de nutrientes importantes para o fortalecimento dos fios já existentes e crescimento de novos, os produtos controlam a oleosidade e protegem os cabelos da ação do tempo.

Os produtos inclusive fortalece os fios danificados por químicas e fragilizados devido a ações externas e até por conta do próprio envelhecimento.

Mas é importante frisar que o tratamento deve ser iniciado assim que se perceber o afinamento dos fios ou queda abundante. De modo que o problema não se agrave.

Enfim, o legal é saber que a Linha Terapia Capilar pode ser usada no couro cabeludo, reforçando a saúde dos fios e controlando problemas como oleosidade e queda.

Ela pode ser usada também em toda a extensão dos fios, devolvendo-lhes elasticidade e prevenindo a quebra. Além de proporcionar excelente hidratação.

Ah, e a linha conta com um tônico específico para ser usada nas sobrancelhas. Ele promove o aumento da espessura e crescimento de novos fios, preenchendo as falhas.

Não é maravilhoso?

Conheça e teste os benefícios dos produtos desenvolvido pela Extratos da Terra, você encontra os produtos de tratamento capilar em nosso site extratosdaterra.com.br ou em um de nossos distribuidores.

Experimente!

Elizete Garcia
Coordenadora técnica Extratos da Terra

Queda de cabelo pós-covid: mito ou verdade?

A queda de cabelo pós-covid é um relato cada vez mais comum em pessoas que apresentaram sintomas provocados pelo coronavírus. Vários estudos estão mostrando que esse sintoma é verdadeiro, mas o real mecanismo que leva à queda do cabelo ainda não está completamente desvendado.

Por exemplo, o estudos de Lopez-Leon e colaboradores, publicado em janeiro de 2021, apontam que 25% das pessoas que apresentaram sintomas da covid-19 têm problemas de queda após a doença.

queda de cabelo

Segundo os pesquisadores, a queda de cabelo é um dos 5 sintomas de longo prazo mais comuns por conta da doença (sintomas que aparecem ou persistem após a recuperação).

 Neste blog, vamos abordar algumas dúvidas em relação a esse assunto.

Por que os cabelos caem após a doença?

Primeiramente, a causa da queda do cabelo pós-covid ainda não está 100% definida. Mas se acredita que decorre do que os médicos chamam de eflúvio telógeno. 

O eflúvio telógeno é quando o cabelo que está em fase de repouso tem esse ciclo acelerado (quando o fio para de crescer e se prepara para cair, sendo trocado por um novo fio). Em outras palavras, é como se o tempo de vida do fio durasse menos do que o normal e, com essa fase acelerada, mais cabelos caem. 

Os especialistas revelam que essa queda acentuada é causada pela inflamação nos folículos pilosos. Assim como ocorre em outras doenças como dengue, chikungunya e zika, além de episódios de estresse, perda de peso, deficiência nutricional e pós-parto.

No caso da covid-19, a Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro (SBDRJ) declara que essa queda pode estar relacionada:

  • Á própria infecção
  • Ás medicações utilizadas no combate à doença
  • Ao estresse emocional nessa fase de isolamento social

Além disso, outros estudos mostram que, em resposta à infecção por covid-19, o corpo diminui a concentração de proteínas anticoagulantes, podendo levar à formação de microtrombos. Em consequência disso, reduz o acesso de sangue ao folículo piloso (onde o fio de cabelo é produzido), deixando os fios mais fracos e provocando sua queda antecipada.

Estudos ainda apontam a alopecia como um sintoma pós-covid, mas nesse caso a covid parece ser um gatilho para o aparecimento do quadro, já que a alopecia está mais ligada à predisposição genética. 

Quanto tempo após a recuperação da covid-19 os cabelos começam a cair?

Em primeiro lugar é importante saber que esse tempo de surgimento do sintoma varia muito de um caso para outro. Mas os relatos apontam de 3 semanas a 3 meses após o diagnóstico da doença. 

Quanto tempo dura a queda de cabelo pós-covid?

A princípio, em média de 3 a 6 meses após o diagnóstico da doença. Após esse período os cabelos tendem a voltar ao normal, desde que não exista uma tendência genética para alopecia ou outro fator envolvido na queda.

Por outro lado, no caso de existir uma tendência genética para a alopecia e o covid ser um gatilho inicial para desenvolver esse quadro, os fios vão ficando cada vez mais finos. 

É importante também lembrar que a deficiência de ferro e de vitaminas pode prolongar essa fase de recuperação, e por isso é importante consultar um especialista para um diagnóstico mais preciso e também para investigar se outros fatores não estão envolvidos na queda dos fios. 

Tratamento tópico para queda de cabelo

O tratamento para queda de cabelo devido ao covid é o mesmo que os já usados normalmente. Ainda não se sabe se existe algum mecanismo específico do vírus que induz o aumento da queda, por isso o tratamento segue a indicação usual e já conhecida.

Por exemplo, um tratamento tópico para queda que faz a reposição de vitaminas no folículo é o Tônico Nano Hair. Esse tônico segura o fio por mais tempo no couro cabeludo, diminuindo a queda e também fortalecendo o fio, deixando-o mais espesso.

O Tônico Nano Hair possui um blend de vitaminas de que o cabelo necessita para crescer saudável e normalizar o ciclo de vida capilar. Entre os componentes, estão aminoácidos, vitaminas do complexo B e proteínas como:

Nano Hair para queda de cabelos
  • Extrato de ginseng
  • Arginine
  • Sais de zinco
  • Niacinamida
  • Biotina
  • Glucosaminas

Dessa forma, para saber mais sobre o Nano Hair e como ele funciona, confira o blog – Nano Hair: vitaminas para queda dos cabelos. 

Então, se você gostou do conteúdo ou tem alguma dúvida? Deixe o seu comentário aqui que nós respondemos para você 😉